segunda-feira, 12 de novembro de 2012

BALSA NOVA, A PEQUENA JÓIA DO IGUAÇU

Vista Aérea da Cidade de Balsa Nova



APRESENTAÇÃO



Se não tivesse existido um homem chamado Alicio Batista Rosa, muito provavelmente eu nunca teria conhecido a cidade de Balsa Nova. Mas quem foi esse homem?
Ele nasceu em Santa Cruz do Rio Pardo, interior do Estado de São Paulo aos 13-12-1931 e era meu tio, irmão caçula de minha mãe por parte de pai. Ele teve outros dois irmãos (Genésio e Leonina) da união de meu avô João Batista da Rosa e a esposa dele de segundas núpcias, senhora Benedita Damasceno.
Alicio tornou-se moço em sua terra natal e começou a jogar futebol pela Associação Esportiva Santacruzense. Quando a mãe dele faleceu e o pai se mudou para Marília com a família da filha Leonina, Alicio partiu em busca de um lugar onde pudesse jogar profissionalmente.
Pelo porte e pelo jeito elegante de jogar, recebeu ainda em Santa Cruz o apelido de Danilo, craque que fez sucesso no CR Vasco da Gama e Seleção Brasileira nos anos 50. Tendo passado por clubes de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, acabou chegando a Curitiba na metade da década de 1950 onde seu primo Geraldino Damasceno fazia sucesso no CA Paranaense.
Apresentado pelo primo, Danilo passou a integrar as fileiras do “furacão” e, como o futebol paranaense naqueles tempos ainda não era cem por cento profissionalizado, Danilo foi trabalhar como carcereiro numa das prisões em Curitiba. Fez curso de investigador e, quando parou de jogar algum tempo depois devido a uma contusão séria num dos joelhos, foi designado como Delegado da Polícia Civil em Balsa Nova.
Lá se estabeleceu, conheceu a bela Irene, moça descendente de poloneses, casou-se com ela e teve os filhos: Andréa, Anderson e Alan.




 CONHECENDO BALSA NOVA EM 1973



Com minha família e a de meu irmão José fomos a Balsa Nova em 1973. Tio Danilo e sua família (na realidade ele, Irene e Andréa pequenina) moravam numa casa de madeira numa rua abaixo da igreja matriz da cidade. Ficamos “fregueses” e passamos a visitar nossos queridos quase todos os anos.
Em 1975 levamos nossos pais e passamos o Natal na Balsa. A casa do tio já era na Av. Brasil, mas de madeira, nos fundos do terreno. Foi inesquecível. Poucos anos  depois ele já havia construído a nova moradia.
Com o passar dos anos, a cidade foi se modificando quanto à sua arquitetura, pavimentação das ruas, vinda de indústrias na sede e fora dela. Mas a saúde do tio Danilo já não era a mesma. Aposentando-se da Policia Civil, trabalhou ainda algum tempo como Comissário de Menores.
Em 16-07-1991 recebi, em plena sessão da Câmara Municipal de Mairinque onde morávamos e eu era vereador, a notícia de que meu querido tio Danilo tinha falecido repentinamente. Terminada a sessão rumamos ao sul do Paraná aonde chegamos por volta da meia noite. Foi muito triste, porém a amabilidade da tia Irene e das crianças fizeram com que nosso relacionamento continuasse o mesmo e assim quase todos os anos íamos até a Balsa.
Em outubro de 1997 foi a vez de a Irene passar muito mal e ser operada do coração em Curitiba. Nessa mesma época nasceu o netinho dela, o Danilinho. Eu e minha esposa Claudineide ficamos uma semana com eles entre a Balsa e Curitiba. Nosso círculo de amizades na cidade foi aumentando: Caiau, Eunice, Nilza, Rubiane a família Batke, os Magatão, tia Verinha e o Clebinho que é como se fosse mais um da família.
Passado o susto, voltamos para nossa casa e continuamos tocando a vida. Foram mais doze anos de convivência gostosa, curtindo nossos queridos na Balsa. Lembro-me da figura da Irene, rodeada de amigas em volta do fogão de lenha bebendo seu chimarrão.
Em 13-01-2009 tudo se modificou. Papai do céu chamou aos páramos celestiais a querida Irene aos 64 anos e lá fomos nós “chorar com os que choram” pois havíamos sempre “nos alegrado com os que se alegram” como preceitua a recomendação de Jesus nas Escrituras Sagradas.
Continuamos mantendo contato constante com os primos (eles nos chamam de tios e é natural, pois temos idade para isso), mas não retornamos mais à Balsa. Esperamos fazê-lo logo que possível.
O que colocamos a seguir são informações sobre essa pequena, porém bonita e acolhedora cidade que nos cativou e que nos levou a sentir o desejo de divulgá-la em nosso blog como já fizemos com outras cidades que nos acolheu. Um abraço carinhoso a todos. 

 

 HISTÓRIA

Etimologia

          A denominação origina-se da construção de uma balsa feita por Galdino Chaves em 1891, cujo objetivo era cruzar o rio Iguaçu. Por haver sobrepujado, em qualidade, as balsas anteriormente construídas, ganhou fama e se constituiu em referência obrigatória à localidade, que passou a ser chamada de Balsa Nova.
História
         Na Serra, ao contrário de outros fazendeiros, o "Tigre" fixou-se no lugar chamado de Tamanduá. Assim foi fundada a primeira povoação de Balsa Nova, no ano de 1702. O povoado cresceu, e, em 1709 com a construção da Capela Nossa Senhora do Carmo, que mais tarde passaria a ser Capela de Nossa Senhora da Conceição do Tamanduá, passou a ter representatividade econômica. Sob as "asas" de Tamanduá foram surgindo e crescendo outros núcleos Serra abaixo, no Vale do Iguaçu. Enquanto esses novos vales prosperavam, a "Velha Tamanduá" entrava em decadência, a partir de 1823. Rodeio Grande, Bugre, São Luiz, Santo Antonio e São Caetano formavam agora a base econômica da região balsanovense. Rodeio era o mais progressista, mas havia que se melhorar a travessia do Iguaçu.
         Com a participação das famílias Alvarenga, Anjos e Chaves, construiu-se uma balsa puxada por quatro canoas. A embarcação pouco durou sendo arrastada pelas águas. Em 1891 surgia uma nova balsa, tracionada por correntes e muito mais segura. A partir daí esqueceu-se do "Rodeio" e todos os moradores da região passaram a referir-se ao lugar como Balsa Nova.
          Em 1938 a denominação oficial do lugar passou a ser João Eugênio.
          Em 12 de maio de 1954, por pressão popular, o nome volta a ser em definitivo, Balsa Nova.
          Em 25 de janeiro de 1961, o então Distrito é desmembrado de Campo Largo e torna-se o Município de Balsa Nova. A partir daí, superada a fase de transição administrativa, a cidade vive sua independência, união e prosperidade.

Feriados municipais:
25 de Janeiro - Comemoração do aniversário da emancipação política do Município.
06 de Agosto - Homenagem ao padroeiro de Balsa Nova - Senhor Bom Jesus

Hino

Tua gente sempre acolhedora,
Tem no peito a semente da amizade,
Tem nos olhos luz reveladora
De um povo feliz de verdade.

Balsa Nova cidade criança, teu futuro é riqueza e bonança. (refrão)

O teu gado e toda a plantação
Dos teus campos compõem novo desenho
E revelam nobre coração:
De paz, de esperança, de empenho.

Balsa Nova cidade criança, teu futuro é riqueza e bonança. (refrão)

O teu chão fecundo, abençoado
O Iguaçu e Papagaio vem banhar,
E tuas matas trazem bom recado:
"Progresso é da vida cuidar".

Balsa Nova cidade criança, teu futuro é riqueza e bonança. (refrão)


GALERIA DE PREFEITOS

Lourival Costa - 1961 a 1964

Vitório Seguro - 1965 a 1968

José Franco Pellizari - 1969 a 1972

Vitório Seguro - 1973 a 1976

José Franco Pellizari - 1977 a 1981

Osvaldo Vanderlei Costa - 1982 a 1987

Vitório Seguro - 1988 a 1991

Osvaldo Vanderlei Costa - 1992 a 1996

Edmundo Bora - 1997 a 2000

Osvaldo Vanderlei Costa - 2001 a 2004

José Franco Pellizari - 2005 a 2008

Osvaldo Vanderlei Costa - atual
 

Câmara de Vereadores:

Ivo Luiz Kupka Garrett – Presidente

Dirceu Batista Leal

Ediso Iavolski Poletto

Joel Bathke

Lauro José Bubniak

Marcio José Padilha

Marcos Antonio Zanetti

Marcos Durau

Valmir José Matozo

Feriados municipais:25 de Janeiro - Comemoração do aniversário da emancipação política do Município.
06 de Agosto - Homenagem ao padroeiro de Balsa Nova - Senhor Bom Jesus

( Copiado de:  http://www.balsanova.pr.gov.br/ )




OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE O MUNICÍPIO


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Balsa_Nova

Balsa Nova é um município brasileiro do estado do Paraná. Sua população em 2007 era de 10.639 habitantes.


Igreja Matriz de Balsa Nova.
Igreja Matriz de Balsa Nova.

Bandeira de Balsa Nova (com o 
escudo no centro.)

Aniversário
25 de janeiro
Fundação
balsa-novense
José Franco Pellizari[1]
(2009–2012)
Localização

Localização de Balsa Nova no Paraná

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/0/0c/Red_pog.svg/8px-Red_pog.svg.png
Localização de Balsa Nova no Brasil
Municípios limítrofes
Distância até a capital
60 km
Características geográficas
396,914 km² [3]
11 294 hab. Censo IBGE/2010[4]
28,45 hab./km²
865 m
subtropical Cfb
Indicadores
R$ 243 498,667 mil IBGE/2008[6]
R$ 21 901,30 IBGE/2008[6]


MEUS PARENTES NA BALSA
Foto-montagem com a família original
de meus parentes em Balsa Nova, aparecendo 
pela ordem de cima para baixo: Alicio (Danilo),
Irene, Andréa, Anderson e Alan.


Alicio e o Sargento da PM 
Autoridades policiais na Balsa



Fotos da família Batista Rosa



















Irene e família nos recebendo em uma de nossas
viagens à casa da família Rosa na Balsa



Bela foto da Irene, combinando com 
a beleza do lugar


Irene, Andréa, Rubiane e Francine.


Anos 80: Andréa e nossa filha Eliane


ACERVO FOTOGRÁFICO





























































A CIDADE E SUAS BELEZAS



























































DISTRITO DO BUGRE:




























AMIGOS VIRTUAIS BALSANOVENSES
(ou ligados à cidade)


  Andréa Rosa e Everton Santos


      Diogo Metzer Czanovski 


Acimir Kupinski

Alessandra Rovinski

Anderson Bierkaski

Chester Moura


Chester Moura 2
 
Francine Batke

Cleber Baltazar

Cristiano Durau

Danieli Magatão

Emanuele Batke

Felipe José Ianik Perissurolo

Filipe Solevicz

Gabirelle Costa Chagas

Henrique Batke

Ieda Portela Franco

Janaina Franco

Jane Solange Salmória

Jerusa Klein

Joel e Estela Batke

Joice Cascais

Lucio Shulz Júnior

Maria Luiza Franco Batke

Mariana Portela Stanski

Paula Caroline Ferreira

Paulo Datti

Priscila e Leticia Schmidt

Rubiane Munhoz Vidal

Vinicius Bresciak

Nilton Gonçalves Tinho

CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação, ou por mensagem no Facebook.

SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, pedagogo e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com