quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

O PRESBITERIANISMO EM SOROCABA E REGIÃO - PARTE II


APRESENTAÇÃO

         Quando me propus a fazer um trabalho reunindo em uma só postagem a História de todas as Igrejas Presbiterianas de Sorocaba e Região não imaginei que pouco tempo depois o espaço virtual do popst , que seria uma espécie de livro virtual, não comportaria mais atualizações.
         Como estas se fazem necessárias, até porque algumas de nossas igrejas ainda não disponibilizaram seus históricos, o jeito foi repartir o trabalho em duas postagens.
         Assim, O PRESBITERIANISMO EM SOROCABA E REGIÃO - PARTE I” contemplará a História das Igrejas Presbiterianas do PSRC – Presbitério de Sorocaba. Já O PRESBITERIANISMO EM SOROCABA E REGIÃO – PARTE II” conterá a História das Igrejas Presbiterianas do PRLS – Presbitério Leste Sorocabano.
         Espero  ter encontrado uma forma de manter sempre atualizada a postagem que mostra a trajetória de nossas igrejas presbiterianas de Sorocaba e região.

 OS PRIMEIROS TEMPOS DO PRESBITERIANISMO EM SOROCABA




No Boletim do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba, edição de setembro/outubro de 2.003 à página 5 encontramos matéria do Reverendo Matheus Benevenuto Júnior, Ministro jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil e Pastor Emérito da Igreja Presbiteriana de Sorocaba. Nela, o autor nos traz importantes informações sobre o início do presbiterianismo em Sorocaba.

       Ele conta baseado em pesquisas feitas para o trabalho que vem elaborando, qual seja, a História da Igreja Presbiteriana de Sorocaba, que o trabalho presbiteriano nessa cidade teve início em 1.861, com a instalação de um depósito de Bíblias na casa do senhor José Antonio de Souza Bertoldo.

    Quem instalou esse depósito de Bíblias foi Simonton (sobre o qual já discorremos em outra secção). Este teria sido atraído à Sorocaba por três motivos básicos: 1 – Pelo espírito liberal aqui reinante; 2 – pela feira de muares; 3 – Por residir em Sorocaba um compatriota de Simonton, o médico Dr. Reinhardt, que cuidava dos trabalhadores da real fábrica de ferro de Ipanema.
      Pouco tempo depois, além de Bertoldo havia mais dois colportores de bíblias. Continuando em sua narrativa, o articulista afirma que o depósito de Bíblias foi muito importante para a preparação e abertura do caminho para os pregadores presbiterianos que viriam depois. As notícias a respeito desse depósito de Bíblias eram veiculadas no jornal presbiteriano, à época, com o nome “Imprensa Evangélica”.
      Nessa época, os pastores partiam de Sorocaba e chegavam até Faxina, atual Itapeva, levando as boas novas do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.
O Reverendo Benevenuto destaca ainda a presença de uma importante figura nesses primórdios do presbiterianismo em Sorocaba e região: José Manoel da Conceição. Como padre, Conceição tinha ideias protestantes, assimiladas no contato com os missionários que vieram ao Brasil para auxiliar Simonton. Por conta disso, ele era visto com certa desconfiança por seus superiores. Conceição, como padre, trabalhou em vastas regiões do interior paulista e sul de Minas Gerais. Convertido e ordenado pastor presbiteriano ele fez questão de pregar o evangelho aos seus ex -paroquianos.
         Retornando ao já mencionado depósito de Bíblias, o Reverendo Matheus informa que Conceição, quando ainda padre, pregou nesse local, situado em frente ao Mosteiro de São Bento, hoje Banco Mercantil do Brasil. Conta que ali pregou também o Reverendo Alexandre Latimer Blakford, cunhado de Simonton.   
          De 1.861 a 1.869 um grupo de pessoas foi instruído nas doutrinas presbiterianas, de maneira que a 1º de setembro de 1.869 cinco pessoas foram batizadas e participaram da Santa Ceia. Nessa data, Blackford organizou a Igreja Presbiteriana de Sorocaba, a quarta comunidade presbiteriana do interior. 
O presbiterianismo desenvolveu-se em Sorocaba e o trabalho tinha a assistência dos missionários americanos. Entre eles conta-se George Chamberlain. Este obreiro e sua esposa foram os fundadores da “Escola Americana”, que veio a se tornar a Universidade Presbiteriana Mackenzie.
         Em 1.876 veio pastorear a I.P. de Sorocaba o Reverendo Antonio Pedro Cerqueira Leite, o qual, de acordo com o que informa o historiador sorocabano Aluísio de Almeida, era homem muito culto. Além de exercer seu pastorado, o Reverendo Antonio Pedro manteve importante escola na cidade. Com a vinda desse pastor, encerrou-se o período missionário.
Desde 1.876 os pastores foram brasileiros. Foi no pastorado do Reverendo Antonio Pedro que teve início a construção do primeiro templo presbiteriano do interior paulista, situado á Rua Nogueira Martins. Ele passou a ser usado em 1.882 e foi inaugurado oficialmente em 1.886.
         Assim se expressa o Reverendo Benevenuto: Agora a comunidade presbiteriana estava firmada em Sorocaba e foram colunas do presbiterianismo em seus primórdios as famílias: Campos, Arruda, Aguiar e Pacheco e que até hoje encontramos descendentes dessas famílias na Igreja Presbiteriana e em quase todas as Igrejas Evangélicas mais antigas em Sorocaba.
        Para encerrar essa fase tão importante do presbiterianismo em Sorocaba, o historiador menciona o pastorado do Reverendo João Ribeiro de Carvalho Braga. Esse pastor formou com o Coronel Vergueiro, figura histórica da cidade, uma comissão para socorrer as vítimas da febre amarela que grassava na época. Era ele Presidente da Assembleia Nacional da Igreja Presbiteriana quando, em 1.903, aconteceu o cisma, surgindo a Igreja Presbiteriana Independente. Ele foi Intendente, que correspondia ao cargo de prefeito e sua foto consta da galeria dos prefeitos no Paço Municipal. Aqui encerra sua descrição o Reverendo Matheus

Nota: O Reverendo Matheus em seu relato faz inúmeras citações sobre a influência da Maçonaria na implantação e desenvolvimento do presbiterianismo em Sorocaba.





01 - IGREJA PRESBITERIANA FILADÉLFIA

É no site oficial da Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba que vamos encontrar o histórico da mesma como segue transcrito:
“No dia 25 de junho de 1937, na Avenida Siqueira Campos n° 40, cerca de 70 membros adultos e 31 membros menores oriundos da Igreja Presbiteriana de Sorocaba, reuniram-se e formaram uma Congregação autônoma com o nome de Filadélfia. E foi nomeado como "Pastor Evangelista", o Reverendo Benedito de Carvalho. Também foram nomeados para a Mesa Administrativa os presbíteros: Abdiel Lopes Monteiro, Ismael de Arruda e Urias de Arruda, e os diáconos: Rubens de Arruda, Benedito Severiano Leite e Lázaro Nogueira. Naquele dia a mensagem proferida foi sobre a segunda vinda de Cristo.
Após três anos de crescimento como congregação, o Presbitério resolve organizá-la como Igreja. Foi no dia 04 de Fevereiro de 1940 que a Congregação Filadélfia organiza-se em Igreja e passa a ser denominada Igreja Presbiteriana Filadélfia, sendo transferida para a Rua Rui Barbosa n° 81, sob o pastorado do Reverendo Antônio Marques da Fonseca Jr. Em um breve espaço de tempo a Igreja passa a reunir-se à Rua Nogueira Padilha n° 192 e, em junho de 1956, transfere-se para nossa sede atual, na Avenida São Paulo n° 379. E em 1967, na noite de natal, o novo templo é  consagrado sob o pastorado  do saudoso servo do Senhor, Reverendo Abimael de Campos Vieira, e a ministração da Palavra ficou sob a responsabilidade do Reverendo Boanerges Ribeiro, Presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil. Faziam parte do Conselho, neste ano, os presbíteros: Amós Amaral, Daniel de Oliveira, Asael Furquim de Arruda, Bento de Assis Pontes, Norberto Francisco Vieira e Alcindo do Prado. Faziam parte da Junta Diaconal: Benedito Paes de Almeida, Alcides Soares. Oswaldo Rodrigues, Samuel do Prado, Joaquim Rodrigues de Campos, Daniel Soares de Carvalho, Avelino Morbioli, Eugênio Carlos de Campos e Antonio Beraldo Rosa.”       

A IP Filadélfia, no pastorado do Reverendo Francisco Chaves dos Santos implantou o trabalho em Células ao invés das tradicionais sociedades domésticas e passou a atuar com a modalidade de Ministérios. Mas o que é uma Igreja em Células? (transcrevemos o que escreveu o pastor da igreja): 
"Com a palavra célula, nos referimos a Igreja de Cristo reunida em uma casa, em nome de Cristo, mesmo que sejam dois ou três, adorando a Deus, edificando-se no temor do Espírito Santo, aplicando a Palavra de Deus às suas vidas, planejando, orando e trabalhando para a salvação dos perdidos. Vida em comunidade significa que a igreja não é um programa, não é um templo, mas sim uma "rede" de relacionamentos saudáveis e encorajadores na família de Deus. É preciso viver na interdependência uns dos outros, amando e servindo uns aos outros. A célula, a igreja na casa, é a maneira prática criada por Deus para se viver em relacionamento uns com os outros; a maneira prática de ser Igreja de Cristo. Precisamos viver de acordo com os valores e princípios cristãos estabelecidos por Deus. Precisamos voltar para a Palavra de Deus – a fonte legítima de todos os valores. Deus vive em comunidade (Pai, Filho e Espírito Santo) e a Igreja deve ser o reflexo dessa Comunidade Divina, pois, afinal, somos imagem e semelhança de Deus. Pr. Francisco Chaves dos Santos”
Com o grande aumento de membros que aconteceu nos anos dois mil a Filadélfia adquiriu um edifício na mesma avenida  do antigo templo e adaptou-o, transformando-o em um templo para abrigar setecentas pessoas sentadas.  A Filadélfia conta atualmente com mais de 1.000 membros comungantes, sendo a maior de Sorocaba e região em termos de presbiterianismo.
A igreja conta com 6 pastores, 3 missionários (as) e 1 evangelista (31-01-2012). Tem uma congregação no Jardim Monteiro em Sorocaba e outra na vizinha cidade de Mairinque. A Filadélfia está jurisdicionada ao Presbitério Leste Sorocabano, organizado em 1999

 

ACERVO FOTOGRÁFICO 


Templo 1 da IP Filadélfia

  
Nesta foto temos: Fila ao alto, da esquerda para a direita: 1 - Não identificado; 2 - Urias Cordeiro de Lima; 3 - Sr. Brasílio; 4 - Benedito Paes de Almeida; 5 - Amós Amaral; 6 - José de Oliveira; 7 - Daniel de Oliveira. 8 - Beraldo Rosa. Fila de baixo: 1 - Eugênio Carlos de Campos; 2 - Dervile de Souza; 3 - Eugênio Cleto da Silva; 4 - José Navarro; 5 - Alcindo do Prado; 6 - Samuel do Prado

Na foto vemos: Fila superior, da esquerda para a direita:
1 - Amós Amaral; 2 - Santos Pedroso Fontão;
3 - Rev. Abimael de Campos Vieira; 4 - Elisur Sewaibriker;
5 - Raul de Oliveira, 6 - Avelino Morbioli.Fila inferior:
1 - Waldomiro Soares; 2 - Gebardo Costa Veloso:
3 - Daniel de Oliveira. 4 - João Luiz Prestes;
5 - Levi de Oliveira.

Comemorações do Cinquentenário: na primeira fila,
o Reverendo Abimael e esposa d. Débora

  
Ministério de Louvor

 
Coral Filadélfia

 

Creche Filadélfia


Vídeo de Tercio Prestes Junior 




A história completa dessa igreja poderá ser vista em:  
http://wilson-ribeiro.blogspot.com.br/2013/02/historia-da-igreja-presbiteriana.html ou em: http://www.ipfiladelfia.com.br/



02 - IGREJA PRESBITERIANA DO CALVÁRIO


INTRODUÇÃO
 
No esforço que estamos fazendo para historiar as Igrejas Presbiterianas de Sorocaba e região, pesquisamos informações sobre essa que é uma das maiores igrejas do Presbitério Leste Sorocabano.
Além dos dados que obtivemos no site oficial, tivemos também a inestimável colaboração de nossa irmã Marilena de Oliveira que nos forneceu muitas das fotos que ilustram esta postagem. A ela os nossos agradecimentos.

HISTÓRICO OFICIAL: “A Igreja Presbiteriana do Calvário de Sorocaba foi organizada no ano do centenário da Igreja Presbiteriana de Sorocaba, em 1969.    No início desse ano algumas pessoas passaram a se reunir na casa dos irmãos Walmir de Campos e Esdras de Moraes, e, já no mês de março, contavam com trinta pessoas, exigindo-se a procura por um espaço maior. Pensou-se em alugar uma sala pequena, modesta, para surpresa de todos, chegou a notícia de que um velho edifício na rua Monsenhor João Soares estava para alugar. Em um amplo salão térreo com sete grandes salas no pavimento superior, sendo que duas delas foram adaptadas, provendo-se lugar para 150 pessoas. Os irmãos Paulo Breda Filho e Francisco Sócrates de Oliveira Camargo assumiram o encargo de alugar o imóvel até que o Presbitério de Sorocaba se mostrou favorável à organização da nova igreja.
No dia 06 de abril do mesmo ano, realizou-se o primeiro culto no local, às 9h30min da manhã. Era domingo de Páscoa e cinquenta e quatro pessoas. A igreja, no entanto foi organizada oficialmente em 1º de Junho de 1.969 com trinta e três membros comungantes (adultos) e onze não comungantes (crianças), formando-se assim em Sorocaba mais uma família da fé, a “família calvariana”. Já no culto de organização foi recebido por profissão de fé e batismo o senhor Romeu Vergil – a igreja já no ato de sua organização estava crescendo!
O primeiro Conselho foi composto por três presbíteros: Paulo Breda Filho, Francisco Sócrates de Oliveira Camargo e Esdras Moraes. A Junta Diaconal era composta de três membros: Renato de Oliveira Camargo, Walmir Campos e Oswaldo Aravim. O primeiro pastor designado pelo Presbitério de Sorocaba para coordenar os trabalhos da nova igreja foi o Pastor Isac Silvério, que permaneceu até dezembro de 1969. Após a reunião do Presbitério de Sorocaba em janeiro de 1970, foi designado como pastor da igreja o Sr. Wilson de Castro Ferreira. “Com o passar dos anos, a igreja cresceu substancialmente, passando ela por diversos pastores, ministros do evangelho dedicados a edificar uma igreja saudável até os dias atuais.”
Fonte: Site oficial: http://www.ipcalvario.org.br/
Com o passar dos anos a Igreja Presbiteriana do Calvário passou a funcionar à rua Professor Toledo, construindo posteriormente seu belo e espaçoso templo à Rua Rocha Pombo, 264, Vila Jardini.
 INFORMAÇÕES: 
Ainda é no site oficial da Igreja Presbiteriana do Calvário que vamos encontrar estes cinco pontos que achamos por bem transcrever: Ei-los:

Declaração de Propósitos
 "Apresentar Jesus às pessoas, integrando-as na família da fé, ensinando-as a crescer espiritualmente e capacitando-as para o ministério, a fim ejuntos glorificarmos a Deus."

Nossos cinco propósitos:
 Evangelização, Comunhão, Disciplinado, Ministério e Adoração.

Nosso Compromisso 
O compromisso com o "grande mandamento" (Mt. 22:37-40) e a "grande comissão" (Mt. 28:19-20) fará crescer um cristão forte e uma igreja saudável. 
 Nosso Alvo 
Edificar pessoas para que o Senhor continue edificando Sua Igreja.
  
Nosso Slogan
Uma família de braços abertos para você.   

ACERVO FOTOGRÁFICO
Fonte: Irmã Marilene de Oliveira  


 

Presb. Dr. Paulo Breda Filho
Fez parte do 1º Conselho da
Igreja Presbiteriana do Calvário

 
A igreja funcionando à Rua Professor Toledo 

     
 Tempos depois

 
Culto realizado na Concha
Acústica de Sorocaba

 
1º Encontro da Família Calvariana

 
Encontro da Família Calvariana II  

 
Ministração pelo Rev. Evaldo Beranger

   
Acampamento 2013 
  
Celebração no templo

 
Psicóloga Marilene Oliveira
e sua mãe dona Sara.



Grupo de Louvor da IP do Calvário

 

  03- IGREJA PRESBITERIANA ROCHA ETERNA 

 

É no site dessa igreja que vamos encontrar o resumo histórico da mesma: A Igreja Presbiteriana Rocha Eterna comemorou em 2008 quarenta anos de organização. Tivemos um mês de celebrações especiais pelo nosso aniversário. Março foi marcante para a vida da comunidade. A bem da verdade a história da IPRE transcende os quarenta anos celebrados. São sessenta anos de eventos que se realizam para a glória de Deus e o desenvolvimento da Igreja.
A semelhança do que ocorreu na cidade de Corinto, referência apresentada por Paulo em sua primeira carta endereçada aquela comunidade, (1ª Cor 1.12; 3.4-7), a boa semente do Evangelho foi semeada no bairro Barcelona, logo no início da vida organizada da Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba. Muitos contribuíram para a construção desse sonho que se tornou realidade abençoadora. As informações coletadas nos registros documentais da Igreja indicam o pastorado do Rev. Mathatias de Campos Fernandes, na década de 40, quando os irmãos José e Custódia Borges ofereceram sua modesta casa, a margem da Estrada de Ferro Votorantim, onde havia um desvio para o cruzamento de trens, para ali, num ambiente familiar, serem ministradas aulas de escola bíblica dominical. A partir daí concretizou-se não só uma escolinha dominical como também um ponto de propagação da graça de Deus. 
No pastorado do Rev. Henrique de Oliveira Camargo, a partir de 1948, torna-se oficialmente organizada a Congregação Presbiteriana de Barcelona, da Igreja Presbiteriana Filadélfia. No pastorado do Rev. Abimael Campos Vieira, a partir de 1953, a Congregação e a Escola Bíblica experimentou um grande desenvolvimento. Muitas conversões e recepção de irmãos vindos de várias procedências.
A Congregação que viveu nômade sediada numa casa ou numa sala temporariamente recebeu da irmã Ana Duarte, a doação de um terreno na Avenida Paraguai. Desde aquela época notamos o amor e a disposição das irmãs para com o reino de Deus. Neste terreno foi então construído o primeiro templo da nossa comunidade, com muito esforço dos congregantes e especial ajuda da igreja materna. Tal acontecimento gerou um impulso ainda maior. Mais gente foi chegando e agregando valores na família que se fortalecia a cada dia. O templo já não acomodava toda a comunidade de forma confortável.
No dia 10 de julho de 1964 a Congregação Presbiteriana de Barcelona adquiriu uma nova propriedade na Rua Panamá, nº 259, endereço no qual permanecemos até a presente data. Em 1965 concluiu-se o novo templo, o qual nos dias atuais é o nosso salão social, pois este também, não foi suficiente diante do crescimento da Comunidade.No dia 03 de março de 1968, a Congregação Presbiteriana de Barcelona, contando com membros suficientes e homens capazes para serem ordenados oficiais da Comunidade, resolve-se organizar a Igreja Presbiteriana de Barcelona.
O tempo passou. Em novembro de 2007, a Igreja entendendo que mais do que paredes e templos, o que a fez crescer e chegar até os dias de hoje, não foi apenas a sua localização, mas, especialmente, a graça do nosso bondoso Deus. Compreendemos que a vida dessa comunidade se desenvolveu através do tempo e do espaço transformando vidas para a glória de Deus, resolveu externar na sua denominação, não mais a sua localização e sim o fundamento que gerou sessenta anos de história. Tudo foi feito dentro das orientações da IPB. No dia 30 de março a Igreja sancionou a sua nova denominação; Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba. Firmados na Rocha Eterna, nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, confiantemente esperamos continuar crescendo, através de uma vivência adoradora, fraterna e missional. Que o Senhor nos ajude. Soli Deo Glorie!"  
  A Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba conta com cento e oitenta membros comungantes (Dezembro de 2012). Construiu um novo templo na zona oeste da cidade onde funciona sua congregação chamada Boas Novas.
Está jurisdicionada ao Presbitério Leste Sorocabano e seu pastor eleito é o Reverendo Dilermando Félix Pereira, o qual já serviu a igreja como diácono e presbítero. Funciona nos moldes tradicionais da IPB mantendo todas as sociedades domésticas. Possui corais (jovens e de adultos) e conjunto de louvor que entoa cânticos contemporâneos.
A IPRE está localizada à Rua Panamá, 259, bairro Barcelona, Sorocaba, SP. e mantém um programa na RadioBiggospel Sorocaba: https://www.facebook.com/radiobiggospel


UM MINISTÉRIO PROFÍCUO


         O resumo histórico da Igreja Presbiteriana Rocha Eterna disponibilizado em seu site oficial não lista seus pastores e não dá informações sobre o trabalho realizado por eles.
       Dentre os obreiros que pastorearam a Igreja cabe destacar, pelo tempo de trabalho e pelos resultados constatados no desenvolvimento da igreja, o trabalho do Reverendo Luiz Henrique Filho, carinhosamente chamado por suas ex ovelhas e amigos por Pastor Luizinho.
        A seguir, um resumo da atuação do operoso obreiro na então Igreja Presbiteriana da Barcelona:
 - Pastoreou a igreja nos períodos de 1992 a 1994 e de 1996 a 2004. Seu ministério foi marcante na vida da igreja;

- Trabalhou ainda como seminarista durante três anos.

- No seu tempo como pastor da igreja ela  teve o maior crescimento numérico do PSRC, único presbitério em Sorocaba naquele tempo;

- Em seu pastorado construiu-se o templo no Bairro João Romão e foi iniciado o ponto de pregação e depois Congregação no bairro Julio de Mesquita Filho;
 - O Reverendo Luiz informou que no seu pastorado houve o maior percentual de dizimistas na igreja.
 - Na área musical, cantou no conjunto masculino e  foi, junto com sua esposa, o fundador do coral jovem, inclusive o nome do mesmo “Neuza Vieira de Aguiar” - foi dado naquela ocasião, com aprovação do Conselho. 
- Incentivou seu presbítero Dilermando Félix Pereira a cursar o seminário para se tornar pastor, o que aconteceu. Luiz Henrique foi o tutor do seminarista Dile.
        Informo que esses dados foram fornecidos pelo próprio Reverendo Luiz Henrique Filho. Acrescento que, mesmo não estando já há alguns anos exercendo o pastorado da igreja ele é muito considerado e sempre convidado para pregar em ocasiões especiais.

                       

Rev. Luiz Henrique Filho e família

ACERVO FOTOGRÁFICO

O templo da IP Rocha Eterna  
 
 
Rev. Abimael pregando em culto doméstico

 
Presb. Joaquim Rodrigues
Regendo coral há mais de 50 anos

 
SAF da IP Rocha Eterna -Anos 80/90

 
Coral da IP Barcelona - anos 90

  
Dia das Mães (2012)

 
Conjunto Masculino IPRE

 
Conjunto Feminino "Vozes que Louvam"

 
Coral Jovem "Neusa Vieira de Aguiar"

 

UPA com o pastor Dilermando

 
Crianças IPRE

 
Lançamento da pedra fundamental do templo da
Congregação Boas Novas (Zona Oeste de Sorocaba)



Dias das Mães - 2014 


História completa desta igreja em:http://wilson-ribeiro.blogspot.com.br/2013/02/historia-da-igreja-presbiteriana.html
ou: http://www.iprochaeterna.org.br/


04- IGREJA PRESBITERIANA DE ALUMÍNIO

Histórico

A Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba expandiu suas atividades missionárias para Alumínio, São Roque, Mairinque, Canguera e Vargem Grande, instalando trabalhos nessas localidades. Alumínio se destacou e o trabalho floresceu como veremos a seguir.
      Foi na primeira metade da década de 1950 que teve início o trabalho presbiteriano em Alumínio. Irmãos procedentes do Município de São Miguel Arcanjo vieram trabalhar na Companhia Brasileira de Alumínio e a Filadélfia instalou um ponto de pregação na localidade, o qual não demorou muito a se tornar uma congregação.
      As famílias pioneiras foram a dos senhores Ceciliano Machado e Izaltino Ribeiro de Medeiros. A essas vieram a se juntar muitas outras, como a do Sr. Jasiel Ferreira e Gediel de Moura, tendo o trabalho se instalado no prédio situado na esquina da Rua José Maria Borges com a Gabriel da Silva Dias, aonde posteriormente veio a funcionar a agência dos Correios. Posteriormente instalou-se na Rua Hehl nº 60, pertinho da portaria da C.B.A., onde hoje está localizado o terminal rodoviário da grande metalúrgica.
      O Reverendo Henrique de Oliveira Camargo, que pastoreara a Filadélfia e suas congregações faleceu em 1955, quando estava à frente das igrejas de Votorantim e Araçoiaba da Serra. O próximo pastor do rebanho em Alumínio foi o Reverendo Abimael de Campos Vieira, que era professor de Sociologia e anos mais tarde viria lecionar na EEPG Professora Isaura Kruger, onde também foi diretor. Por essa época a Congregação Presbiteriana Filadélfia em Alumínio já tinha um presbítero e um diácono, respectivamente os irmãos Waldemar Machado e Gediel de Moura. Ainda como Congregação, em Assembleia realizada na IP Filadélfia em Sorocaba o irmão Gediel foi eleito presbítero e o irmão Jasiel Ferreira Filho foi conduzido ao ofício de diácono.
Em 14-03-1965 foi realizada a Assembleia de organização da Igreja Presbiteriana de Alumínio, sendo constituído o primeiro Conselho, que foi integrado pelos irmãos:Presidente:Reverendo Moisés Martins Aguiar; Presbíteros: Waldemar Machado, Gediel de Moura, Jasiel Ferreira Filho, Jair Ribeiro de Medeiros, Angelino Ângelo Rodrigues e Antonio Leite, estes dois últimos de Vargem Grande. Por sua vez, a Junta Diaconal contou com os irmãos: David Alves Machado, Waldomiro Ribeiro, Walter de Moura, Silas Ribeiro, Wilson do Carmo Ribeiro e Joaquim de Oliveira, também este último diácono de Vargem Grande.
      O Reverendo Moisés era um homem de certa idade e como seu antecessor, professor de Sociologia e lecionava na EEPSG Prof. Horácio Manley Lane, em São Roque.
      À semelhança da igreja de Jerusalém, sobre a qual a bíblia narra que os irmãos louvavam a Deus e caiam na graça de todo o povo (At 2.47) em Alumínio o trabalho prosperava e o testemunho dos irmãos era tido em grande conta pela direção da fábrica de alumínio, a qual era dirigida pelo Dr. Antonio de Castro Figueirôa, homem de notável energia e de grande poder de decisão sobre todas as coisas que aconteciam na comunidade aluminense.

A IGREJA SE EXPANDIU

 

Em 1968 a IP de Alumínio iniciou a construção de seu edifício de Educação Cristã em terreno que ganhou da Cia. Brasileira de Alumínio. O projeto foi do Presb. Ercy Moreira e em julho de 1969 foi inaugurado.
Igreja zelosa em relação ao comportamento de seus membros, cresceu muito e em 1975, no pastorado do Reverendo Willes Banks Leite consagrou um templo que construiu na Vila Paraíso.
Em 1981 começou um trabalho na vizinha cidade de Mairinque na casa da família do Presb. Wilson do Carmo Ribeiro no bairro Jardim Cruzeiro. Foram 37 alunos na Escola Dominical. Em 1983 os irmãos já consagravam um Edifício de Educação Cristã em um terreno de 400 metros quadrados que a IP de Alumínio comprara.
Em 15-11-1985 o trabalho de Mairinque se organizou em igreja. Alumínio continuou ainda com os trabalhos em São Roque e Vargem Grande que algum tempo depois também se tornaram Igrejas eclesiasticamente organizadas.
No início dos anos 70 construiu em Alumínio a casa pastoral e depois, anos mais tarde, um belo e espaçoso templo. O tempo passou, muitos chefes de família se aposentaram e se mudaram, a exemplo dos que foram para Mairinque, também para outras cidades da região e o trabalho sentiu os efeitos.

Fonte: - Livro de Atas nº 1 do Conselho da Igreja Presbiteriana de Alumínio; 
           - Depoimento do Pastor Philemon de Medeiros, de família pioneira.

 

ACERVO FOTOGRÁFICO

 

Família Ribeiro de Medeiros
(pioneiros)

 
 Waldemar, David e Tereza (pioneiros)

 
Jasiel do Prado Ferreira, d. Luiza Ferreira
e Jasiel Ferreira Filho (pioneiros)

  
Gediel e Ruth Ribeiro de Moura
(pioneiros)

  
Povo presbiteriano de Alumínio
(início dos anos sessenta)

  
Conjunto masculino (anos 70)

    
Coral Ebenezer (anos 70)

   
Coral Infantil (1965)

  
Lançamento da Pedra Fundamental do
Edifício de Educação Cristã (1968)
   
    
Conjunto Hosana (década de 1980)
     
Conjunto Dynamis (2008)

    
Templo (anos 2000)


Louvor atual



Os varões da igreja homenageando as mulheres



Páscoa (parceria com a IP Filadélfia em Mairinque) 


Jardim Paraíso:   Logo nos primeiros anos de seu profícuo ministério em Alumínio o Reverendo Willes Banks Leite expôs no Conselho sua opinião de que a igreja deveria construir um templo na Vila Paraíso. Sua tese era a de que naquelas vilas que surgiam por lá, iriam residir muitas das famílias que faziam parte da IP Alumínio e moravam em casas da CBA. E ele estava certo, pois todos os empregados que se aposentam naquela indústria têm de entregar as residências que ocupam.
      Assim, na própria Vila Paraíso, além do Jardim Progresso, Pedágio e Brasilina foram morar as famílias dos irmãos: Presb. Gediel de Moura, diácono Silvestre Gomes, diácono Daniel Mendes Pontes, dona Vitalina Floriano, Ananias Pontes, Bento Nunes de Oliveira, as manas Erci e Eni Ribeiro e outras mais. Ressalte-se que algumas dessas citadas não moraram na Vila Industrial.
      E o templo foi edificado, com mão-de-obra dos próprios membros, no sistema de mutirões. As cadeiras foram adquiridas da Associação Atlética Alumínio, as quais eram usadas no cinema daquele clube. Ao lado do templo, construiu-se a casa de zeladoria.
      Em 1976 o templo foi inaugurado com culto festivo, tendo pregado o Reverendo Boanerges Ribeiro, presidente do Supremo Concílio da IPB. Fizeram-se presentes ainda os Reverendos Celso Pedroso Fontão, Presidente do Presbitério de Sorocaba, Abimael de Campos Vieira, e Samuel José de Paula.
A cerimônia foi conduzida pelo Reverendo Willes, o dedicado pastor da IP de Alumínio, que via se concretizar assim um sonho daquela comunidade.
Fonte: Livro de Atas 1 e 2 do Conselho da Igreja Presbiteriana de Alumínio.



 
ACERVO FOTOGRÁFICO


O templo reformado recentemente


Consagração do templo em 1975


Culto de Natal


Membros antigos


Membros antigos (2)



05 - IGREJA PRESBITERIANA DE MAIRINQUE

HISTÓRICO

Em 1975 a Prefeitura Municipal de Mairinque criou o loteamento denominado Jardim Cruzeiro, vendendo os terrenos às pessoas que ainda não possuíam imóvel no município. Alguns membros da I.P. de Alumínio adquiriam terrenos no referido bairro. Somaram-se a eles, outros que também se mudaram para Mairinque, onde floresciam bairros como CECAP, Nova Mairinque e Residencial Parque.
Entre os irmãos que se mudaram com suas famílias de Alumínio para a Mairinque estavam os Presbíteros Jovelino de Oliveira Tomáz e Wilson do Carmo Ribeiro. E foi na casa deste último que teve início o trabalho na localidade em julho de 1981 com 37 alunos na Escola Dominical. A abertura da mesma era feita na garagem, onde permanecia a classe de adultos. As crianças ficavam no escritório ao lado e os jovens subiam para a sala. Posteriormente, tendo crescido muito a classe das crianças a mesma foi desdobrada, indo os adolescentes para um dos quartos da residência, a qual tinha dois pavimentos.
      Nesse local o trabalho funcionou até dezembro de 1983 e a família Ribeiro só esteve ausente em um domingo, quando viajou no período de férias. Dona Maria Tomáz ficou com as chaves e acompanhou o desenrolar dos trabalhos.
Estas são as famílias que formaram o núcleo que originou a Congregação Presbiteriana em Mairinque: Presb. Jovelino de Oliveira Tomaz (dna. Maria, Azenate, Eunice, Loide, Rhode, Ana e João Marcos); Presb. Wilson do Carmo Ribeiro (dna. Claudineide, Wilson Cláudio, Eliane, Flávia e Artur), Luiz Carlos Sodré (dna. Terezinha, Lorien, Lígia, Luiz Gustavo e Ana Cláudia); Zilton Machado Neves (dna. Celina, Ziltinho, Thaís e Othon); Silas Alves Carneiro (dna. Honorina) Roque Pereira (dna. Esther, Márcia, Marco Aurélio e Heloísa); Logo depois vieram: Carlos Pedroso(Ester, Carlos Eduardo, André e depois Priscila); Valdenei Bezerra dos Santos (dna. Conceição, Celso, Marcos Igor, Clovis André e Júnior); Benedito Antonio Fernandes (dna. Neuza, Fábio, Luciana e Rafael); Dona Hildete Vilela de Oliveira (Edna e Edilza); Dona Maria Tomé (Márcia, Érica, Fabiana, Antonio Marcos e Francislei); Ana Maria Barbosa (Fábio e Fabiana); Paulo Afonso Bona (dna. Rosmeire, Jéferson e Débora); Elza Mendes dos Santos (Leda, Elisio, Eliseu, Carlos Henrique e Hosana), Laércio Aparecido Pereira (dna. Conceição, André, Luciene e Débora); Célio da Silva (dna. Regina, Érica e Jander); Aroldo de Souza (Eliete e Tatiana); Arlindo Rodrigues (Esther, Naiza e Dorimar): Benedito Pereira (Maria Inês e Marlon); Aparecida Maria Pinto (Cláudia, Luciane e Mariana); Maria Aparecida Pinto (Alessandro, Leandro e Valéria); Miquéias e Mirian; Moisés José de Lima (dona Maria Marta e filhos), Walter Ramos, Onofre Reis Filho, Matiko Maeda (Rita) e outros.
      Logo depois do início do trabalho presbiteriano em Mairinque organizaram-se a SAF, Mocidade, Coral e conjunto de jovens, o qual recebeu o nome de Ágape.
Como o trabalho se desenvolvera rapidamente, a I.P. de Alumínio adquiriu dois terrenos de quatrocentos metros quadrados cada na Rua Major Saldanha, Vila Nova Mairinque e ali edificou dentro de pouco tempo o Edifício de Educação Cristã. A essa altura, a Escola Dominical já contava com mais de cem alunos. Muitos vieram de Alumínio; outros se converteram nos trabalhos da nova comunidade. A estes se somaram algumas famílias que haviam deixado a Igreja Metodista, entre as quais a do Sr. Luiz Carlos Sodré, que permaneceu como membro da igreja.
      Organizaram-se as demais sociedades domésticas: UPH, UPA e UCP. Tiveram início também os ensaios de um conjunto coral sob a regência da irmã Diomar Vieira Peres, esposa do Reverendo Manoel Peres Sobrinho, que pastoreava a IP de Alumínio e, por conseguinte, a Congregação em Mairinque. Como o referido pastor mudou-se com a família para a cidade de Lavras, MG, o coral esteve paralisado por algum tempo, voltando às atividades já em novo local sob a regência do irmão Silas Alves Carneiro.
Até então a Congregação não possuía um órgão eletrônico e estava se utilizando de um órgão convencional, bastante antigo, que antes fora usado na Congregação do Jardim Paraíso. Os irmãos de Mairinque então adquiriram um órgão eletrônico usado em São Miguel Arcanjo. O mesmo foi trazido daquela cidade pelos irmãos Wilson, Claudineide, Silas Carneiro e a esposa dele, dona Honorina. Depois de algum tempo, já como igreja organizada foi comprado um órgão novo, quando então a regência passou às mãos do Presb. Walter de Moura, o qual vinha treinando o jovem João Marcos de Oliveira Tomáz, que faleceu prematuramente, vítima de um acidente automobilístico na Rodovia Raposo Tavares, região de Avaré.

A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA

Em 15-12-1985 foi realizada a Assembleia para a organização da Igreja Presbiteriana de Mairinque. O primeiro Conselho ficou constituído pelos Presbíteros Jovelino de Oliveira Thomaz, Wilson do Carmo Ribeiro, Zilton Machado Neves e Aroldo de Souza. A primeira Junta Diaconal foi constituída dos irmãos: Laércio Aparecido Pereira, Elizeu Muniz dos Santos, Onofre Reis Filho e Benedito Antonio Fernandes.
O Reverendo Ramon Perez foi designado pelo Presbitério de Sorocaba para assumir o pastorado da nova igreja no ano seguinte. Até então ele pastoreava a igreja-mãe, a IP de Alumínio.

CONSTRUÇÕES 
     
Consolidado o trabalho em termos eclesiásticos, a I.P. de Mairinque tratou de tocar as obras que hoje constituem seu patrimônio. Num espaço de tempo de apenas sete anos a maioria de suas construções estavam prontas.  Como na Vila Nova Mairinque existisse terrenos à venda, o Conselho adquiriu dois deles, perfazendo oitocentos metros quadrados, na Avenida Major Saldanha e ali deu início à construção do prédio que algum tempo depois estava pronto. Com um salão de cultos na parte inferior e quatro salas de aula no pavimento superior, o edifício foi inaugurado no final de 1983, no pastorado do Reverendo Manoel Peres Sobrinho, que liderou as obras e ali pregou pela primeira vez.
Com o rebanho crescendo cada vez mais, o Conselho deliberou construir o templo, o que foi feito num espaço de tempo relativamente curto, cabendo ao Sr. Jurandir Carlos Pinto a edificação do belo santuário. O projeto arquitetônico foi do engenheiro Antonio Carlos Rodrigues Raposo, sem ônus para a igreja.
 No templo ainda inacabado, foi realizado o casamento do Reverendo Mauro Ribeiro de Freitas, pastor da igreja com a jovem Érica Martins da Silva. A consagração do templo ocorreu no ano seguinte.  Encaminhada essa primeira questão, a IP de Mairinque adquiriu outro terreno, desta vez à Rua Antonio Vieira, no bairro Residencial Parque e ali construiu a casa pastoral com mais de cento e cinquenta metros quadrados. O primeiro pastor a residir nessa casa foi o Reverendo Homero de Almeida, em 1994, nela permanecendo até 1999, quando concluiu seu segundo mandato. Algum tempo depois teve início a construção do salão social nos fundos do templo e por fim, a casa da zeladoria, edificada sobre o salão social.
Fonte: Livro de Atas nº 1 do Conselho da Igreja Presbiteriana de Mairinque.

ACERVO FOTOGRÁFICO

  

Organização da SAF na residência da família
do presb. Wilson Ribeiro em 1983.
Nesse mesmo local o trabalho
presbiteriano em Mairinque teve
início em julho de 1981
 

Classe de crianças na ED (1981)

  
Irmã organista Diomar Vieira Peres,
primeira regente do Coral e o
irmão João Marcos de O. Tomaz 
 
Escola Bíblica de Férias
1ª década de 1980

 
Primeiro Conselho e Junta Diaconal em 15-11-1985.
Em pé os presbíteros: Zilton Machado Neves,
Aroldo de Souza, Wilson do Carmo Ribeiro
e Jovelino de Oliveira Thomaz. Agachados
os diáconos: Onofre Reis Filho, Benedito
Antonio Fernandes, Eliseu Muniz dos Santos
e Laercio Aparecido Pereira 
  
Conjunto Ágape - Culto em 1988
(gravado em fita K-7 para lembrança)
iniciativa do irmão Luiz Carlos Sodré
 
O templo concluído (1990)

 

Coral sob a regência do presb.
Walter de Moura - anos 90) 
    
Coral sob a regência do irmão
Tiago Ramos Ribeiro (2010) 
 
Santa Ceia - culto pelo Jubileu
de Prata (Novembro de 2010)




Povo de Deus reunido


 Crianças que louvam a Senhor



06 - IGREJA PRESBITERIANA DO JARDIM SIMUS 

INTRODUÇÃO

Com a colaboração do Reverendo Manoel Peres Sobrinho dileto pastor que conhecemos desde antes de sua ida para o seminário e que depois foi nosso pastor por duas vezes em Alumínio e Mairinque nas décadas de 1980 e 1990, apresentamos o Histórico oficial da Igreja Presbiteriana do Jardim Simus, a caçula de nossas igrejas no Presbitério Leste Sorocabano.

HISTÓRICO OFICIAL
Esta é a transcrição da origem do trabalho presbiteriano no Jardim Simus, bairro situado a oeste da cidade de Sorocaba: “O trabalho no Jardim Simus nasceu do ímpeto missionário da Igreja Presbiteriana da Vila Fiori, somado ao idealismo cristão da expansão do Reino de Deus do Rev. Celso Pedroso Fontão, que era então, o seu pastor na época.
Registros de Atas oficiais informam-nos que em maio de 1996 foi encaminhada uma carta à Vila dos Velhinhos pelo Conselho da Igreja com a finalidade do início de um ponto de pregação em um de seus terrenos. Em 18 de setembro, do mesmo ano, a Igreja recebe o direito de uso do terreno através do registro de documento particular para atividade religiosa. Em 22 de fevereiro de 1997 ocorre a inauguração do salão de cultos da Congregação do Jardim Simus, fixando como responsáveis do culto de domingo às 18:00h o Pb. Heber José de Almeida e o Diác. Celso Ribeiro Fiúza; para os cultos das quintas-feiras às 19:30h os responsáveis seriam o Pb. Zeferino Batista Camargo e o Diác. Ademir Rodrigues Soler. Em 21 de julho de 1997 inicia-se a Escola Dominical às 15:00h. De 1997 a 1999 esteve à frente do pastorado da Igreja o Pr. Eude Carvalho da Rocha, sendo o responsável pelo culto dominical da Congregação; a superintendência da Escola Dominical ficou sob a responsabilidade do irmão Silvano de Brito Maciel. Em fevereiro de 1999 resolve-se construir uma sala de aula com dependências para a cozinha, recebendo alguns utensílios doados pelos membros. Em 23 de dezembro de 2000 a Congregação passa a ser oficialmente Congregação Presbiterial, tendo à frente de seus trabalhos o Rev. Jurandyr Vieira Cardoso. Em 2009 a Congregação comprou o terreno que usa atualmente por R$ 75.000,00, para ser quitado até setembro de 2011, mas antecipou-o totalmente em dezembro de 2010. Em fevereiro de 2011 assumiu o pastorado da Congregação o Rev. Manoel Peres Sobrinho até o momento.
(Fontes bibliográficas: Manuscrito do Pr. Celso Pedroso Fontão; Dados de Atas Oficiais da IP Vila Fiori coligidos pelo Secretário do Conselho Pb. Zeferino Batista Camargo; E-mail do Pb. Heber José de Almeida; Depoimento por escrito do Pr. Jurandyr Vieira Cardoso.”  

A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA  

A Igreja Presbiteriana do Jardim Simus foi organizada em 28-07-2012.  Foram eleitos presbíteros os irmãos Josias Vieira Cardoso e Marcos Melo os quais, juntamente com o Rev . Manoel Peres Sobrinho passam a constituir o Conselho da nova igreja. O rol de membros registrados ficou sendo o seguinte: Comungantes: 28; Não Comungantes: 2. A Igreja Presbiteriana do Jardim Simus está localizada à rua dos Miosótis nº 70, Jardim Simus, Sorocaba, onde tem o seu templo.


ACERVO FOTOGRÁFICO


Interior do templo


Rev. Celso Pedroso Fontão
O idealizador


 
Rev. Eude Carvalho da Rocha
Pastoreou a Congregação

Rev. Jurandyr Vieira Cardoso
Pastoreou a Congregação

Rev. Manoel Peres Sobrinho
Organizou o trabalho em Igreja


 
Diácono Ademir Rodrigues Soler
Um dos primeiros responsáveis
pelos cultos dominicais


 Silvano de Brito Maciel
1º Superintendente da
Escola Dominical

Outras Fotos
Fonte: Blog Fragmentos


Culto na IP do Jardim Simus

   
 
Professora Maria Eli Oliveira prega
no Dia da Mulher Presbiteriana (2013)


Presb. Eugênio Carlos de Campos
e esposa d. Juraci Cândido de
Campos - membros pioneiros


Diomar Vieira Peres e
Tatiana Peres - membros
pioneiros

Luciana Peres -
membro pioneiro


 
Ivan Vieira
Membro pioneiro

Diva Vieira Antunes
Membro pioneiro

 07 - IGREJA PRESBITERIANA BETEL DE VARGEM GRANDE PAULISTA

A cidade de Vargem Grande Paulista está localizada às margens da Rodovia Raposo Tavares, distando 40 quilômetros da capital paulista, fazendo parte da Região Metropolitana de São Paulo.
O município tem apenas 31 anos e nos últimos tempos tem experimentado um progresso muito acentuado, contando hoje com mais de 44.000 habitantes.
A Igreja Presbiteriana Betel existia anteriormente como Congregação da Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba e em 15-03-1965 passou a fazer parte da Igreja Presbiteriana de Alumínio. Três irmãos de Vargem Grande foram eleitos nessa ocasião: Angelino Ângelo Rodrigues e Antonio Leite como presbíteros e Joaquim de Oliveira como diácono.
Fonte: Livro de Atas nº 1 da Igreja Presbiteriana de Alumínio. 
Atualmente é uma igreja em franco progresso, contando com o Reverendo Wellerson Evangelista no seu pastorado e em 31-12-2012 contava também com o trabalho dos seminaristas Renato Rangel Teixeira e Tiago Camargo.
Possuía um templo pequeno e antigo mas conseguiu, pela graça de Deus,  um novo e moderno santuário para congregar os irmãos. A Deus toda a glória!

ACERVO FOTOGRÁFICO



Templo 


Acampamento


Mulheres em ação



Jovens em ação



Trabalho Feminino
Chá da tarde na igreja




Irmão Benedito Pio Batista e familiares


  
08-  CONGREGAÇÃO PRESBITERIAL EBENEZER



A Congregação Presbiterial Ebenezer está localizada à Rua José Rodrigues Del Pino na Vila João Romão, zona leste de Sorocaba, SP. Foi ponto de pregação e depois congregação da IP de Barcelona, atual IP Rocha Eterna.
Conta com 10 membros comungantes e seis não comungantes e sua Escola Dominical tem 15 alunos matriculados. Dona Dalva Rosa Bonani é uma pioneira que auxilia nos aspectos gerais do trabalho.
Possui um belo templo que foi construído no final dos anos noventa pelo presb. Norberto Vieira. O Presb. Bento de Assis Pontes, chegando aos 100 anos de idade e mais de setenta de presbiterato é um braço forte do atual pastor, Rev. Josimar Coimbra.

Fonte: Depoimento do Rev. Dilermando Félix Pereira e irmã Dalva Bonani, membro pioneira.


ACERVO FOTOGRÁFICO 



Vista do interior do templo


Louvando a Deus pelo início da
construção - Coral Barcelona




Culto - Anos 90



Dalva e Jair Bonani - Pioneiros


  
d. Maria Pontes (ao centro)


Presb. Bento de Assis Pontes
99 anos de idade e 74 de presbiterato




09 - IGREJA PRESBITERIANA DO JARDIM BANDEIRANTES

O trabalho presbiteriano em São Roque teve início dos anos sessenta como um ponto de pregação jurisdicionado à Igreja Presbiteriana de Alumínio, passando posteriormente ao status de Congregação. Os cultos eram realizados na casa do irmão José Cabral, que doou o terreno para a construção do templo.
Entre os anos setenta e oitenta construiu seu templo, tenho se empenhado para que a obra fosse concluída o diácono Silvio Ferreira e outros irmãos que lá congregavam.
O templo está localizado à Av. Bandeirantes, 403 no Jardim Bandeirantes na Estância Turística de São Roque, bela cidade localizada no km. 65 da Rodovia Raposo Tavares.
Entre as famílias mais antigas que deram origem ao trabalho conta-se a do irmão Bento Caetano Rodrigues (dona Manoelina) que tinham vários filhos e filhas, entre eles Amélia, Vera e Glaucia, que se tornou missionária.
A organização da igreja aconteceu em 14-12-1985 sob o pastorado do Rev. Ramon Perez. Atualmente a igreja conta com 35 membros comungantes e sua Escola Dominical tem 35 matriculados, sendo uma classe de adultos e duas de crianças.
Fontes: - Livro de Atas nº 1 da Igreja Presbiteriana de Alumínio;
                 - Depoimento da irmã Celina Machado.

ACERVO FOTOGRÁFICO



Templo


Culto evangelístico



Dia da Criança - 2011




Culto - Aniversário - 26 anos



Reunião de oração em residência 

 
Trabalho da Mocidade



Antigas e queridas



1º aniversário de libertação


 
 
Sociabilidade - Homens



10 - IGREJA PRESBITERIANA FILADÉLFIA EM MAIRINQUE

Em 12-12-1999 um grupo formado por 37 membros comungantes e 12 não comungantes (menores) oriundos da Igreja Presbiteriana de Mairinque começou um novo trabalho na cidade. Uma casa foi alugada no centro da cidade e uma Mesa Administrativa foi formada para dar os primeiros passos.
O primeiro status foi o de Congregação Presbiterial e o primeiro pastor foi o Reverendo Mauro Ribeiro se Freitas. Em seguida veio o Reverendo Manoel Perez Sobrinho, ambos já bastante conhecidos da nova comunidade presbiteriana.
Depois, por certo tempo, a Congregação funcionou com o trabalho do seminarista Dilermando Félix Monteiro e atos pastorais por pastores designados pelo Presbitério.
Em 2003 a Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba assumiu o trabalho e desde então ele se tornou numa Congregação daquela igreja, tendo um pastor de tempo integral. A partir dessa fase pastorearam a congregação os Reverendos Gustavo Sant’Ana Cunha, Helio Ribeiro Queiróz e o atual, Amauri Vassão Filgueras.
Atualmente a Igreja Presbiteriana Filadélfia em Mairinque tem 40 membros comungantes e vinte não comungantes (menores). 
Ela não possui sociedades domésticas, realizando em conjunto os trabalhos programados. Em ocasiões especiais como Natal e Páscoa tem sido realizados trabalhos em parceria com a Igreja Presbiteriana de Alumínio.

Fonte: Informações por escrito da irmã Edna Vilela de Oliveira, membro pioneira, com base no livro de Atas nº 1 da Comissão Organizadora do trabalho.




ACERVO FOTOGRÁFICO 

 

O templo

  Os membros


Louvor Jovem




11 - IGREJA PRESBITERIANA DE VILA FIORI


         A Igreja Presbiteriana de Vila Fiori está localizada à Rua Camargo Fleuri nº 80 no bairro de mesmo nome na cidade de Sorocaba, SP.
         Das igrejas presbiterianas que estão organizadas eclesiasticamente ela é a que está situada mais próxima da progressista região norte da cidade. É uma comunidade bastante ativa, sendo pastoreada neste ano pelo Reverendo Carlos Amendoeira Júnior.


ACERVO FOTOGRÁFICO


O templo


 
O interior do santuário


Povo de Deus


Varões da igreja


Jovens no louvor


Acampamento


Mais acampamento (presença dos adultos)













OS PASTORES

 

Achamos por bem agrupar as fotos os pastores que prestaram seus serviços nas nossas igrejas devido ao fato da repetição das fotos e nomes nas diversas igrejas.

Louvamos a Deus pela vida de Seus servos, muitos dos quais nos pastorearam e ainda nos pastoreiam nos dias atuais e a quem dedicamos todo o nosso respeito e admiração. Ei-los em ordem alfabética:


Abimael de Campos Vieira


Alecksandro Guimarães


Alexander Latimer Blackford


Alexandre Santos de Oliveira 


Amândio Pereira da Silva


Amaury Vassão de Oliveira


Anderson Faria Luiz


Anizio Batista


Antonio Pedro de Cerqueira Leite


 Benedicto Neves de Paula


Carlos Amendoira Júnior


Celso Pedroso Fontão


Claudio Martins de Oliveira


Davi de Campos Germano


 Dilermando Félix Pereira


Edvaldo Beranger


Eleazar Rodrigues Sobrinho


Eliel Fausto Botelho


Eli Barbosa


Ely Barbosa de Oliveira


Eude Carvalho da Rocha


Evaldo Beranger


Ezoil Paniágua Benitez


Flávio Reginaldo de Almeida


Francisco Chaves dos Santgos


Francisco José de Carvalho


George Whiterhill Chamberlain


Gionaldo Pereira Lima


 Gustavo Luiz do Prado


Helio Ribeiro Queiróz


Henrique de Oliveira Camargo


Homero de Almeida


Isac Silvério


Ismael Andrade Leandro


Ismael Simões de Almeida


 Ivanilson Bezerra da Silva


Jeferson Luz Bona


Jorcelino da Silva (Pastor Binho)


José Carlos Ferreira


Josimar Coimbra da Silva


Jurandir Vieira Cardoso


Leocádio Carpiné


Luiz Henrique Filho


Luiz Henrique Sobrinho


 Manoel Peres Sobrinho


Marcos Mas de Mello

 
Mattathias de Campos Fernandes


Matheus Benevenuto Júnior


 Mauro Ribeiro de Freitas


Melson Aloysio de Oliveira


Moisés Martins de Aguiar


Paulo Costivelli


Ramon Perez


Renato Camargo Filho


Renato Ribeiro dos Santos


Samuel José de Paula


Silas Rebouças Nobre


Wagner Aparecido dos Santos


Wagner Bernardi


Waldomiro Nunes da Fonseca Jr.


 Wellerson Evangelista


Wellington Scarcinati


Willes Banks Leite


Willian Kerr


Wilson Castro Ferreira


AGRADECIMENTOS


Nossos agradecimentos às pessoas que colaboraram para que pudéssemos realizar este trabalho. Vamos citar algumas delas que participaram mais diretamente, fornecendo informações ou fotos:
- Claudineide Marra Ribeiro – Incentivo e fotos do álbum pessoal.
- Marilene de Oliveira – fotos da IP do Calvário
- Edna Vilela de Oliveira – Informações da IP Filadélfia em Mairinque.
- Bruna Wincler – Fotos do site da IP Rocha Eterna
- Celina Bueno Machado – Informações sobre a IP do Jardim Bandeirantes.
- Dalva Vieira Bonani – Fotos da Congregação Presbiterial Ebenezer.
- Rev. Manoel Peres Sobrinho e Rev. Dilermando Félix Pereira - Informações sobre a    IP do Jardim Simus.
- Presb. Ademir Rodrigues Soler- Informações sobre a IP de Vila Fiori. 
- Tercio Prestes Júnior - Fotos da IP Filadélfia de Sorocaba.
- Gil Barbosa de Freitas Filho - Fotos da IP do Jardim Bandeirantes - São Roque.
- Marcia Rodrigues Baptista - Fotos da I. Betel de Vargem Grande Paulista. 



CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação, ou por mensagem no Facebook.


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, pedagogo e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com