terça-feira, 19 de dezembro de 2017

JESUS NASCEU: NÃO TENHAIS MEDO!

APRESENTAÇÃO
Assim como em anos anteriores, publiquei matéria nesta época do ano que antecede o Natal de Jesus Cristo ( ver: http://wilson-ribeiro.blogspot.com.br/2014/12/natal-verdades-mitos-e-tradicoes.html) achei por bem selecionar um estudo sobre o assunto na internet para publicação no meu blog, encerrando 2017, que foi um ano de muitas lutas mas também de grandes vitórias.
Entre as várias mensagens que se me apresentaram, escolhi esta que o leitor poderá ler e aprender coisas interessantes sobre algumas consequências relacionadas com o nascimento de Jesus.
Trata-se de mais um trabalho do nosso querido pastor Reverendo Hernandes Dias Lopes, conhecido pastor presbiteriano que podemos aprecia-lo no programa Vitória em Cristo, ele que é também pastor da Igreja Presbiteriana de Vitória, ES..
Vamos, pois, ao estudo:
INTRODUÇÃO 
1. A Mensagem do Nascimento de Cristo trouxe medo para Zacarias, Maria, José e os pastores:
a) Não temas Zacarias (Lc 1:13).
b) Não temas Maria (Lc 1:30)
c) Não temas José (Mt 1:18-20)
d) Não temas pastores (Lc 2:10).
2. O inesperado provoca medo em nosso coração
a) Tudo estava indo bem com José
Ele estava noivo com a jovem dos seus sonhos
Eles estavam fazendo planos para o futuro.
b) Então José descobre que Maria está grávida
c) Rapidamente o mundo de José entra em colapso. Ele começou a ter medo do futuro.
3. Vejamos algumas lições práticas deste texto:
I. NÃO DEVEMOS TER MEDO QUANDO AS COISAS PARECEM INEXPLICÁVEIS – V. 18
1. José ficou com medo porque concluiu que Maria tinha sido infiel
a) Nós geralmente chegamos a conclusões equivocadas sobre realmente o que está acontecendo com as pessoas à nossa volta. Ficamos com medo. Ficamos chocados e até mesmo decepcionados quando tiramos conclusões apressadas.
b) Foi por isso que Jesus nos alertou sobre o perigo de julgarmos os outros. “Não julgueis para que não sejais julgados. Por que com a medida com que julgardes, sereis também julgados” (Mt 7:1).
2. Enquanto José está se preocupando, cheio de medo, Deus estava trabalhando um plano maravilhoso para a sua vida
Às vezes ficamos deprimidos, porque deixamos de descansar na soberania de Deus. Ele está no controle de tudo. Achamos que o nosso caminho se fechou. Achamos que o nosso futuro acabou. Achamos que a vida perdeu o sentido; e nem, sabemos que Deus está trabalho algo novo, glorioso para nos abençoar e nos surpreender.
3. José estava com medo de Maria ter sido infiel ou imoral, mas nela estava se cumprindo a profecia bíblica de que uma virgem daria à luz ao Messias (Is 7:14)
Os temores de José só viam pela frente uma tragédia, mas Deus estava apontando o cumprimento de uma profecia messiânica. Ele via um futuro trágico, Deus um caminho cheio de luz. Ele temia porque não olhava para as circunstâncias na perspectiva de Deus.
4. José estava com medo, porque não compreendia todos os fatos
O que José pensou que era pecaminoso, era sagrado. Maria não era uma noiva infiel, mas uma serva fiel e obediente ao Deus vivo. Seu ventre hospedava não o fruto do pecado, mas a obra do Espírito Santo. Ele carregava no ventre não um filho ilegítimo, mas o Filho de Deus. Ele trazia no seu ventre não o fracasso de um sonho, mas o Salvador do mundo.
5. Nós devemos ter mais cautela ao sermos precipitados acerca do fracasso dos outros
Muitas vezes julgamos os outros de forma precipitada. Fazemos juízo temerário e sofremos por ele, sem conhecermos profundamente o que de fato está acontecendo. Só Deus conhece. Só Deus pode julgar. Devemos ser mais cautelosos ao julgarmos e condenarmos as pessoas apenas pelas aparências.
II. NÃO DEVEMOS TER MEDO ACERCA DA PREOCUPAÇÃO COM A OPINIÃO PÚBLICA – V. 19 
1. José nos ensina que devemos proteger as pessoas, em vez de expô-las ao opróbrio público
José tinha dois caminhos para lidar com Maria: 1) Divorciar-se dela publicamente, fazendo sua defesa – Para proteger-se teria que expô-la. Para salvar sua honra, teria que comprometer a honra de Maria. Mas a Bíblia diz que José era homem justo e não queria infamá-la. Quem ama cobre multidão de pecados. Quem não expõe o outro ao opróbrio. 2) Ele resolveu então, deixá-la secretamente – Dispôs a sofrer o dano. Ele não queria que Maria tivesse sua reputação destruída por um suposto pecado. Ele temeu o que outros poderiam fazer com Maria, ao tomarem conhecimento dos fatos que ele suspeitava.
2. José temeu, porém, porque permitiu que a opinião dos outros determinassem seu futuro
a) A nossa responsabilidade é fazer o que Deus determina que façamos – Quando tememos o que os outros vão pensar de nós, deixamos de fazer o que Deus nos manda fazer. Quando tememos o que os outros vão pensar ou falar nos afastamos das pessoas que mais amamos por causa das nossas suspeitas infundadas.
b) O temor da opinião pública pode nos manter distantes do melhor de Deus para a nossa vida – José estava a ponto de abandonar Maria e viver sozinho, renunciando seu amor e sua amada. Se ele o fizesse, teria se privado do melhor de Deus para a sua vida.
c) O medo da opinião dos outros pode nos levar a fazer coisas inconvenientes (Pv 29:25) – Quem teme os homens arma ciladas, mas quem teme a Deus, descansa.
3. Aqueles que estão no centro da vontade de Deus não necessitam temer a cerca da reação das pessoas
Você não deve agradar a homens, mas sim a Deus.
A voz da multidão, a opinião da massa nem sempre expressa a verdade, muito menos a vontade de Deus.
III. NÃO DEVEMOS TER MEDO QUANDO SOMOS ASSOLADOS PELA ANGÚSTIA MENTAL – V. 20 
1. José ficou com medo porque sua mente não se desligou do problema, em vez de buscar o esclarecimento dos fatos
Ele deve ter pensado no problema continuamente. Logo depois da visita do anjo Gabriel Maria, viajou para Judeia e lá ficou seis meses na casa da prima Isabel. O texto nos dá a entender que Maria guardou em silêncio o que aconteceu. José deve ter ficado em profunda angústia com a viagem misteriosa da sua noiva. Por que viajar agora? Por que tanto tempo? Por que o silêncio? Por que apareceu grávida? O que vão pensar as pessoas? Como ficará sua reputação? O que vão pensar de Maria? Sua mente é um turbilhão. Ele não consegue dormir. Está em crise.
Nossos problemas, às vezes, nos tiram o sono, o apetite. Não conseguimos desligar nossa mente. Não conseguimos descansar. Não conseguimos racionar direito. Ficamos aturdidos. Confusos.
2. José ficou com medo, ainda que sua ansiedade era realmente infundada
a) O que ele pensou que poderia trazer a morte, trouxe a libertação da morte – Maria não seria apedrejada, não sua reputação seria destruída, nem seu casamento com Maria acabado. A gravidez de Maria traria o sol da Justiça, a salvação de Deus. O Filho de Maria chamar-se-ia JESUS e EMANUEL. O salvador do pecado e o Deus conosco. Ele veio para trazer salvação. Ele veio para estar conosco.
JESUS: 1) A principal missão de Jesus é salvar
2) O grande mal do qual Jesus nos salva é o pecado
3) Esta salvação é para o povo de Jesus
a) EMANUEL: Ele veio para estar conosco: Éden, Santuário, Templo, Encarnação, Espírito Santo, Templo celestial.
b) O que ele pensou que poderia ser a ruína do nome de Maria, imortalizou o nome dela – Maria tornou-se a mãe do Salvador. Ele teve o único, sublime privilégio de amamentar o criador do universo, de carregar nos braços aquele que sustenta os céus e a terra, de ensinar os primeiros passos àquele que é o caminho para Deus. José estava sofrendo por algo oposto à verdade dos fatos. Sua suposição era não só infundada, mas diametralmente equivocada.
c) O que ele pensou que poderia arruinar a reputação de Maria entre os homens, fez dela bendita entre as mulheres – Maria em vez de ter seu nome manchado, sua reputação maculada, seu caráter desonrado, tornou-se através dessa gravidez a bendita entre as mulheres.
3. Muitos de nossos temores são infundados; devemos substituir os nossos temores pela fé.
O medo é o oposto da fé, onde ele chega a fé vai embora. Tememos porque desviamos os olhos de Deus, deixamos de olhar para vida na perspectiva de Deus, deixamos de confiar que Deus está no controle de tudo.
CONCLUSÃO 
1. Sobre que assunto da sua vida, Deus precisa lhe dizer: “Não tenha medo” hoje?
2. Deus é poderoso para encontrar você também em seus medos como ele encontrou José e transformar suas angústias em motivo de celebração.
3. Lance sobre o Senhor todas as suas ansiedades. Ele tem cuidado de você. A mensagem do Natal remove de nós o medo e enche o nosso peito de fé e a nossa boca de júbilo."
ALGUMAS ILUSTRAÇÕES ALUSIVAS AO NATAL



O anjo anuncia a Maria que
ela haveria de ser a mãe do
menino Jesus


Em Belém da Judeia...


Num estábulo...


Jesus nasceu e foi saudado por um coro
de anjos celestiais aos pastores que, à noite, 
guardavam seus rebanhos no campo


Aproximadamente 2 anos depois uns magos
vieram do Oriente para conhecer Jesus e...


trouxe-lhe presentes que representavam
os ofícios que Jesus exerceria: Ouro para o rei,
incenso para o ofício sacerdotal e mirra,
substância que era usada no embalsamento
dos corpos ( Jesus morreria para nos salvar)



Mas Herodes, que era o rei da Judeia naquela época, ao
ficar sabendo da notícia de do nascimento de
um novo rei, intentou matar o menino...



Porém, avisado em sonho por um anjo, José
levou Maria e Jesus para o Egito e lá a família
ficou até que Herodes morreu


E, orientados por um anjo, voltaram a Israel 
e a família foi morar em Nazaré, na Galileia. 
Daí ele ser chamado O Nazareno.



CONCLUSÃO


         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação. 


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero emérito da Igreja Presbiteriana do Brasil e membro da Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com



terça-feira, 12 de dezembro de 2017

HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO - RESUMO HISTÓRICO ILUSTRADO

APRESENTAÇÃO



Como dependente de minha esposa sra. Claudineide Marra Ribeiro, professora aposentada do Governo do Estado de São Paulo, faço uso constante do IAMSP (Ceama) em Sorocaba, bem como das clínicas e hospitais conveniados.
Em julho de 2013, devido sofrer de cardiopatia chagásica (Doença de Chagas), tive parada cardiorrespiratória, sendo reanimado através de choques elétricos através do aparelho chamado desfibrilador.
Fiquei quinze dias na UTI da Santa Casa de Sorocaba, mais uma semana no quarto e saí de lá com um aparelho chamado desfibrilador portátil implantado em meu corpo. A finalidade do aparelho é dar choque no coração caso aconteça arritmia. Sem ele, teria morte súbita
O histórico completo sobre este episódio você pode ler clicando aqui: http://wilson-ribeiro.blogspot.com.br/2013/09/doenca-de-chagas-minha-luta.html
Ocorre que o referido aparelho é composto por um gerador, bateria e fios que são conectados ao coração. Tal bateria tem duração aproximada de cinco anos. No meu caso durou 4 anos e 5 meses e quando foi percebido na avaliação quadrimestral realizada, restava apenas 2% da carga, suficiente para apenas um choque se necessário fosse. Após isso, eu estaria “a descoberto”.
“CORRERIA” E SOLIDARIEDADE
Com situação tão delicada, não perdemos tempo: No dia seguinte estávamos no Hospital do Servidor Público de São Paulo visto que no momento o serviço especializado (troca do gerador) não está disponível em Sorocaba. As funcionárias Ana Laura e Bruna do CEAMA em Sorocaba foram as responsáveis pelo rapidíssimo contato com o hospital em São Paulo, deixando tudo   acertado verbalmente e entregando-nos uma carta que levaríamos ao Serviço de Cardiologia, instalado no 11º andar do Hospital do Servidor.
Lá chegando, fomos recebidos com imensa atenção e gentileza pela funcionária Roseli Franca. Na ausência do médico responsável, fomos atendidos e avaliados pelo diretor da área de cardiologia, o Dr. Ney Valente, um simpático e atencioso senhor já de certa idade.
Ele determinou nossa internação urgente para que ficássemos monitorados e na semana seguinte fôssemos cirurgiados, o que ocorreu com a participação do Dr. Marcelo e Dra. Daniela.
Só encontramos gente que nos tratou de forma maravilhosa: médicos, enfermeiras, camareiras, etc. e também o pessoal da capelania, tendo sido visitados pelas capelãs Eleni Vassão e Cleide.
No meu quarto estava internado o Professor. Manoel, acompanhado da esposa professora Magda, residentes em Mogi das Cruzes, nós evangélicos presbiterianos e eles budistas. Houve muita troca de informações, em especial pelas esposas acompanhantes. A amizade vai durar por muito tempo se Deus assim o permitir.
FOTOS COM O PESSOAL DO HOSPITAL E DE NOVAS AMIZADES

Como minha esposa faz amizade com muita facilidade, começou a tirar fotos com os vizinhos internados e respectivos acompanhantes e também com o corpo médico e outros profissionais do hospital. Fez amizade também com o pessoal da capelania evangélica, sendo que somos conhecidos de longa data da capelã irmã em Cristo Eleny Vassão.
Daí ficaram sabendo que sou blogueiro e viram alguns trabalhos meus. Aí então fizemos vários fotos para este trabalho que estou realizando. Não vai ser possível colocar os nomes de cada um mas o pessoal vai se identificar  na seção Galeria Ilustrativa que faz parte desta postagem.
Este trabalho, além de histórico sobre o Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo, é uma forma de agradecer pelo excelente atendimento que nos prestaram. Que Deus abençoe a todos.
HISTÓRIA DO HOSPITAL
O Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe)  é um órgão do Governo do Estado de São Paulo, vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão.
Antigo Departamento de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Damspe), o instituto foi criado em 1961 para oferecer atendimento médico a servidores públicos estaduais, seus dependentes e agregados por meio do Hospital do Servidor Público Estadual, em São Paulo.
Hoje, o Sistema de Saúde Iamspe  oferece atendimento por uma extensa rede própria e credenciada presente em mais de 170 municípios e composta por hospitais, clínicas, laboratórios, além de médicos que atendem em consultórios e clínicas particulares, sem custo adicional para os usuários.
Essa história começou em 1948, quando o deputado Pinheiro Jr. apresentou um projeto de lei para a criação de um “Serviço Social e de Assistência ao Servidor Público Estadual”. Apesar de não aprovado, o projeto mobilizou legisladores e representantes de associações que transformaram a ideia na resolução governamental nº 289/51.
Em 1952, foi aprovada a criação do Departamento de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Damspe). O órgão seria responsável por viabilizar o atendimento médico a 400 mil pessoas incluídos os 98 mil servidores e seus dependentes.
Definiu-se a construção de um hospital que atenderia apenas os servidores estaduais e seus dependentes. Em 25 de janeiro de 1957, o governo de São Paulo lançou a pedra fundamental das obras do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), prédio projetado para ter 15 andares, 200 apartamentos, 1.200 leitos e oferecer atendimento em 15 especialidades.
O Hospital do Servidor Público Estadual foi inaugurado no dia 9 de julho de 1961, com presenças ilustres, como do então presidente Jânio Quadros. Em 29 de janeiro de 1963, por meio do decreto 51606, o hospital passou a se chamar Hospital do Servidor Público Estadual Francisco Morato de Oliveira, homenageando o responsável pela obra. 
LINHA DO TEMPO 
Picture1952
Criação do Damspe.
Movie1957
Inicio da construção do HSPE.
Picture1961
O Hospital do Servidor Público Estadual foi inaugurado no dia
 9 de julho de 1961, com presenças ilustres, como do então 
presidente Jânio Quadros

Location1962
Descentralização do atendimento para o Interior do Estado (convênios).
Location1966
Regime jurídico muda o Damspe para Iamspe
(vinculado à Secretaria da Fazenda).
Movie1968
Desvinculação da Secretaria da Fazenda, passando à Secretaria de Trabalho e Administração.
Movie1970
Aprovação do regimento interno do Instituto de Assistência ao Servidor Público Estadual.
Regulamentação das atividades do ensino e pesquisa (Cedep).
Movie1984
Criação dos ambulatórios do Iamspe no interior (Ceamas).
Movie1987
Transferência da Secretaria de Trabalho e Administração para Secretaria de Saúde.
Movie2008
HSPE passa a ser subordinado à gestão pública.
Abertura de credenciamento de profissionais de saúde, hospitais e clínicas.
Celebrado Acordo de Resultados entre a Secretaria da Gestão e Iamspe que prevê aporte de R$ 250 milhões para ampliação do atendimento até 2010. A partir de 2010, repasses passaram a ser fixos.
Modernização do Serviço de Exames por imagem.
Revisão dos valores pagos por consulta médica.
Reestruturação do Centro de Desenvolvimento e Pesquisa (Cedep).
Movie2009
Início do credenciamento de médicos para atender usuários em consultórios e clínicas particulares.
Contratação direta de rede de laboratórios de análises clínicas e de imagem, totalizando 140 unidades no Estado.
Implantação de sistema informatizado de relacionamento com prestadores de serviço, reduzindo custos e chances de fraudes.
Distribuição de exemplares do Guia do Usuário e emissão de carteirinhas, facilitando uso do Sistema de Saúde Iamspe.
Movie2010
Iamspe alcança meta definida no Acordo de Resultados e eleva de 113 para 200 total de cidades com atendimento médico local.
Reforma e modernização de instalações e equipamentos dos Ceamas, os postos de atendimento próprios do Iamspe.
Aquisição de acelerador linear de última geração, equipamento usado no tratamento de câncer.
Movie2011
Hospital do Servidor Público Estadual completa 50 anos Realização do 1º Congresso Internacional do Idoso.
Início do desenvolvimento do projeto para tornar HSPE um dos primeiros hospitais Amigo do Idoso na América Latina.
Implantação do Portal Coorporativo Iamspe, a intranet.
Movie2012
Reforma da cozinha e do refeitório do Iamspe com 600 lugares e capacidade para servir 4.500 refeições diárias.
Lançamento do Programa Integralidade, base do Projeto Hospital Amigo do Idoso, que prioriza qualidade, humanização e envelhecimento ativo e saudável.
Início da digitalização e armazenamento de 31 milhões de prontuários médicos.
Pesquisa junto a usuários aponta 81,4% de aprovação dos serviços.
Movie2013
Início da reforma e ampliação do complexo Iamspe em 34 mil metros quadrados.
Governo anuncia criação do Cartão de Benefícios do Servidor, que prevê descontos e facilidades como parte da política de valorização do servidor estadual .
Aumento de 45% nas consultas oferecidas na rede própria e credenciada.
Movie2014
Iamspe na Secretaria de Planejamento e Gestão.
Entrega do novo Pronto-Socorro Adulto, com mais espaço e adaptado para população idosa.
Inaugurada nova ala do Serviço de Quimioterapia.
Início da oferta do Plano Odontológico para servidores e seus dependentes.
Programa de Gerenciamento de Pacientes Crônicos, que atendia 27 mil servidores no Interior, passa a atender usuários na Capital.
Movie2015
Entrega do Centro de Diagnóstico por Imagem, parte das reformas do complexo hospitalar.
Mais de quatro mil servidores participam da Oficina de Sensibilização para o Envelhecimento.
HSPE obtém selo inicial Hospital Amigo do Idoso.
Movie2016
Término da primeira fase das obras físicas de reforma do complexo hospitalar, incluindo o Prédio de Utilidades e o voltado para atendimento aos idosos, o centro cirúrgico e a nova torre de elevadores.
Início da modernização do Portal do Iamspe.
Movie2017
Início das atividades no Centro de Integralidade, prédio construído para abrigar ações destinadas ao público idoso.
Realização do 2º Congresso Internacional do Idoso, de 08 a 10 de junho.

CENTRAL DE ATENDIMENTO: (11) 5583-7001 | PABX: (11) 4573-8000 | AV. IBIRAPUERA, 981 - SÃO PAULO (SP) | CEP: 04029-000 | CNPJ: 60.747.318/0001-62


ILUSTRAÇÕES

1 - DO HOSPITAL




























Fonte: Internet

2 - DO PESSOAL DO HOSPITAL


Dr. Ney Valente, Diretor
do Serviço de Cardiologia
(Um gentleman - nos avaliou
na ausência do responsável
que estava participando de
um congresso)



Dr. Jefferson Curimbaba, chefe da Enfermaria 
de Cardiologia do IAMSPE


Roseli Franca Anjos, a
eficiente secretária


 Parte da equipe de cardiologia
que nos atendeu (Dr. Ney, Dra. Livia, 
Dra. Emanuelle, Dra. Danielle 
e enfermeira Tatiane


Juntamo-nos a eles para uma despedida


Equipe de enfermagem da Clínica Médica no
15º andar onde ficamos instalados por dois dias,
mais uma amiga que fizemos lá, sra. Inocência.
 Acompanhava seu irmão interno residente 
em Sorocaba


 Mais uma amiga enfermeira


A fotógrafa mor dona Claudineide com
a Dra. Livia Nascimento de Matos. 



Dra. Emanuelle de Oliveira Lemes, médica que foi
responsável pelo nosso acompanhamento clínico nos
dias que antecederam a cirurgia

 Tatiana Kamikawa
Enfermeira chefe  da equipe 
de cardiologia


 3 - DA NOSSA ESTADIA NO HOSPITAL


Ida pela Viação Cometa, metrô e táxi


 Alimentação balanceada


A caminho do centro cirúrgico


Já operado e feliz com o resultado

 Paisagem paulistana vista do 11º andar
onde estávamos internados. (região do Ibirapuera)


Vista noturna da mesma região



Painel na sala da capelania evangélica


Com a capelã evangélica Eleny Vassão


Membro da capelania, falando e cantando
para ânimo aos pacientes


Com nossa irmã e vizinha de Sorocaba
Cleuza, enfermeira que aposentou
trabalhando no Hospital do Servidor


Com o companheiro de quarto, educador físico
 Sr. Manoel e sua esposa professora Magda


As colegas - professoras aposentadas -
Claudineide (evangélica presbiteriana)
 e Magda (budista) se tornaram amigas


Com nossa filha Eliane que nos visitou 
com o marido Luiz Rodolfo


Com nosso filho Artur, que foi nos buscar 
após a alta médica


 Deixando o hospital, feliz pelo atendimento 
recebido e pela constantes bênçãos do Senhor


4 - DO IAMSP EM SOROCABA


Vista interna


Médico clínico Dr. Geraldo José Maiello



Enfermeira Bruna Ayres Dias, 
que com sua companheira



 Ana Laura Lamounier nos
 encaminharam  de forma 
urgentíssima ao Hospital 
do Servidor


Eliza Rosa F. de Deus
Funcionária e amiga pessoal


Na Clínica Med Urgências (Conveniada do IAMSP) com 
Dr. Jeferson e enfermeira Evelin Lagos de Freitas para a
retirada dos pontos da cirurgia

CONCLUSÃO


         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação. 


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero emérito da Igreja Presbiteriana do Brasil e membro da Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com