sábado, 28 de janeiro de 2017

OS PÁSSAROS E SEUS CANTOS MARAVILHOSOS

APRESENTAÇÃO

Para quem nasceu na área rural como eu, uma das coisas mais bonitas que desfrutava era ouvir o canto dos pássaros no seu habitat natural.
Para quem não sabe, tivemos um pequeno sítio no interior e depois trabalhamos em olarias, as quais também se localizavam em propriedades geralmente com matas preservadas e rios despoluídos. Erradamente, como muitos faziam naqueles tempos, tive alguns pássaros em gaiolas, principalmente canários da terra.
Nesta postagem, pesquisei e, além daquelas aves que já conhecia, cataloguei mais algumas. São cantores maravilhosos e, através de vídeos do You Tube, estou fazendo esta publicação.

Espero que você goste.



Canário da Terra


Canário do Reino


Pintassilgo


Curió


Azulão


Coleirinha


Pássaro Preto


Sabiá Laranjeira




Uirapuru


Araponga



Rouxinol



Graúna



Calopsita



Trinca-ferro



Sanhaço



Patativa



Inhabu Chororó


Bicudo goiano


Corrupião



CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.



SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, pedagogo e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com



sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

TÉCNICO TITE - UNANIMIDADE NACIONAL

APRESENTAÇÃO

Sem dúvida o futebol é uma das paixões dos brasileiros. E não era sem motivo que os torcedores brazucas andavam macambúzios nos últimos tempos visto que haviam se acostumado com a afirmação que o futebol brasileiro é o melhor do mundo. E pela quantidade de títulos mundiais conquistados pela seleção canarinha a afirmação é verdadeira, visto ser a única a conquistar cinco vezes o título de campeã mundial de futebol.
Mas como o último título foi em 2002 (penta) no Japão e na Coréia do Sul e levando-se em conta que a última competição foi em nosso país (2014) e sofremos aquele vexame ao perdermos para a Alemanha por 7x1 ainda nas quartas de finais, o torcedor brasileiro passou a colocar em descrédito nosso esporte predileto, em especial seus dirigentes e técnicos.
No entanto, em setembro do ano passado, quando  nossa seleção amargava um 6º lugar nas eliminatórias sulamericanas o técnico Tite, vitorioso especialmente no Corinthians foi chamado a assumir o comando da equipe e as coisas mudaram.
Disputou seis partidas, ganhou todas e assumiu o primeiro lugar na tabela de classificação onde só quatro vão ao próximo mundial. Novos e jovens talentos se juntaram a Neymar e a confiança da torcida voltou. E Tite, pode-se dizer, se tornou uma unanimidade nacional, na imprensa e na torcida, independente do time para qual cada um torce.

O APELIDO DE TITE NASCEU DEVIDO A UM ENGANO DE LUIZ FELIPE SCOLARI, O FILIPÃO
Familiares e amigos que viram pela televisão, na última quarta-feira, a consagração profissional de Tite como técnico, ao levar o Corinthians a conquistar pela primeira vez o cobiçado título da Libertadores da América, se lembraram naquele instante de como tudo começou, 40 anos atrás, e de como o futebol havia se tornado uma peça fundamental na vida da família Bachi.
Anos 1970, Caxias do Sul. A cena era comum no começo das tardes frias ou amenas da cidade gaúcha. Ade, 12 anos, filho do meio de dona Ivone Mazochi e seu Genor Bachi, se juntava com Miro, seu irmão mais novo (ele ainda tem Beatriz, a mais velha) para jogar futebol. Sem muitos recursos financeiros, os garotos estudavam no Colégio Estadual do Guarani (hoje Henrique Emílio Meyer), onde não havia quadra para o passatempo preferido da família. Para não ficar sem o futebol de todas as tardes, eles não faziam nenhuma cerimônia para pular o muro dos fundos do tradicional (e particular) colégio de freiras da cidade, o Madre Imilda, localizado a menos de 200 metros da casinha onde viviam, numa travessa da Rua Sinimbu, no bairro de Lourdes.
A cena se repetiu por anos e foi o início do contato diário de Adenor Leonardo Bachi, muito antes de ele se tornar o Tite, técnico campeão da América com o Corinthians e um apaixonado pelo esporte de onde tirou seu sustento desde sempre e do qual quase nunca se afasta.
A paixão de Tite pelo futebol vai além de seus compromissos e obrigações profissionais. É parte de sua vida, seja como o técnico de um time de ponta durante uma campanha importante, como a da Libertadores recém-conquistada, seja de folga, entre uma caipirinha e outra ao lado da churrasqueira acompanhado dos mais chegados, contando histórias de quatro décadas no mundo da bola.
Tite por engano. Uma das histórias mais curiosas é de como Adenor, ou simplesmente Ade, como a família ainda o chama, ganhou o apelido célebre: foi tudo um grande engano, cometido por outro gaúcho famoso de Caxias do Sul: Luiz Felipe Scolari.
Aos 14 anos, Tite ainda jogava apenas como amador os torneios entre escolas estaduais. Defendendo seu colégio, o garoto, um meia clássico, camisa 10 às costas, enfrentou o time do Cristovão Mendonza, equipe que era treinada por Felipão, à época um jogador semi amador e já veterano do time do Caxias, que dividia seu tempo com a função de professor de educação física.
Scolari ficou sabendo que o time rival tinha um meia habilidoso, com potencial de se tornar profissional, chamado Ade. Ele fazia dupla de meio-campo do "Emilio Meyer" com outro aluno, um garoto conhecido como Tite. Felipão gostou do que viu no camisa 10, o Adenor, mas confundiu o nome dele e passou a chamá-lo de Tite. Assim ele foi apresentado aos dirigentes do Caxias, onde depois se tornaria profissional e até jogaria ao lado de Scolari no fim dos anos 70.
A vida de Tite é toda direcionada para o futebol. E, como um sujeito apegado à família e aos amigos (os mesmos desde os tempos de colégio), ele arrasta todos a seu redor.
Exemplo disso é que nos dias de folga em Caxias, a diversão principal de Tite é cuidar do Carrossel, o time formado por amigos, e por Ademir (o Miro) seu irmão e companheiro de campos e quadras desde os tempos da puladas diárias de muro e, eventualmente, pelo mais novo elemento do time, Mateus Bachi, 21 anos, filho do treinador e jogador do time na época das férias escolares.
O nome do time é quase um tratado de imodéstia de seus "atletas". Deriva da legendária Holanda da Copa de 1974, conhecida como "Carrossel Holandês" por seu estilo de jogar e de encantar com toques rápidos e "equilíbrio", palavra preferida do técnico.
O Carrossel tem direito a uniforme oficial, foto posada a cada jogo e "casa própria" -o Centro Esportivo e de Lazer Tite (Celte), formado por um par de quadras de futebol society com grama sintética, um galpão com churrasqueira e bar, que aluga espaço para os boleiros de fim de semana.
"Ele não fala de outra coisa. Não tem outro assunto para ele. É futebol, é o Carrossel, é o jeito que o time joga. Ele gosta tanto de futebol que, no início de carreira, já profissional, ele jogava pelo Caxias mas não deixava de viajar com a gente pra jogar peladas", conta Alvaro Mentta, gerente de vendas de uma concessionária de veículos, em Caxias do Sul, e amigo desde a infância.
Essa paixão toda foi nutrida pelo pai, que incentivava Tite se tornar jogador, e a mãe, que aumentou sua produção como costureira para compensar a falta de dinheiro no período mais difícil, quando as contas apertaram e o filho ficou entre abandonar o sonho de virar jogador ou ajudar na renda familiar.
"O pai teve uma época que fez a cobrança. Estava na hora de trabalhar. Mas a mãe disse que trabalhava mais pra deixar ele tentar ser jogador", lembra o irmão Miro, hoje com 46 anos e administrador do Celte. "Era dia e noite costurando para ele poder jogar", complementa a mãe, dona Ivone, 76 anos.
Rituais. Dona Ivone, aliás, é parte importante de dois dos rituais seguidos por Tite como técnico. O primeiro, e mais conhecido, é o de usar nos dias de jogos uma camisa da cor predominante do time que dirige. No Corinthians, o preto é a escolha dele, no Palmeiras, usava verde, no Inter, o vermelho. A ideia veio a partir da iniciativa de sua mãe, que depois do primeiro título dele como treinador, o Gaúcho de 1999 pelo Caxias, lhe deu um terço na cor do time, a grená.
A segunda superstição de Tite que remete à mãe é a ligação no dia da partida. "Ele liga sempre por volta do meio-dia, pede a bênção a ela e pede que reze por ele", diz Miro.
Tite, de fato, tem a religião como um traço marcante de sua personalidade herdada da mãe. "Eu rezo para o santo do dia. Mas tenho o São Jorge como o principal. E foi só outro dia que eu descobri que ele era o padroeiro do Corinthians. Combinou."
Fala muito. A paixão pelo futebol, segundo dona Ivone, não atrapalhou Ade de ser um bom aluno. "Não tenho do que me queixar."
O prontuário escolar de Tite no Emilio Meyer, bem conservado nos arquivos da escola até hoje, mostra que ele era um aluno que oscilava entre notas boas e medianas. Jamais foi brilhante, mas também não estava entre os piores da classe.
Nas observações dos conselhos de classe anuais, entre a quinta série e a oitava do antigo Ginásio, de 1972 a 1975, Tite é descrito por seus orientadores como um aluno que se destaca pela "criatividade, participação, entrega dos trabalhos, interesse". Entre os problemas, detectavam dificuldade com matemática e português.
Nas observações finais de 1974, quando cursou a sexta série, o conselho da escola para Adenor, registrado oficialmente a mão em seu prontuário, foi: "Você tem capacidade para atingir um bom aproveitamento. Dedique-se mais ao estudo, pois tem condições para render mais". Mas a observação mais curiosa é a de que Tite sempre foi bastante falante. "Mais dedicação e falar menos", orientava a escola.
Tite, o treinador vencedor, talvez definisse Ade, o garoto que gostava de futebol, com uma de suas expressões mais conhecidas: "Fala muito."

Fonte: : http://esportes.estadao.com.br/noticias/geral,a-historia-do-menino-ade-que-virou-tite-por-um-equivoco-do-professor-scolari-imp-,897359



BIOGRAFIA

Adenor Leonardo Bachi, mais conhecido como Tite, é um ex-futebolista e treinador brasileiro. Atualmente é treinador da Seleção Brasileira.
Altura: 1,84 m

CARREIRA

Tite começou sua carreira como volante no Caxias em 1978, atuando por 121 jogos
. Em 1984 foi vendido para o Esportivo de Bento Gonçalves. Em 1985, foi para Portuguesa.
No ano seguinte, já no Guarani, alcançou seu auge sendo vice-campeão no Campeonato Brasileiro de 1986 e no Campeonato Brasileiro de 1987 (Copa União), além de também ter sido vice-campeão no Campeonato Paulista de 1988.
Aposentadoria precoce
Tite foi obrigado a encerrar prematuramente a sua carreira, com apenas 28 anos de idade, devido a uma série de lesões nos joelhos, inclusive com ruptura de ligamento, perdendo a mobilidade de uma das pernas. Até hoje não consegue flexionar um dos joelhos
Como treinador
Tite graduou-se em educação física pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e tornou-se treinador em 1990 dirigindo o time do Guarany de Garibaldi. Treinou diversos times gaúchos como Veranópolis (1992-1995, 1998), ganhando a segunda divisão gaúcha em 1993. Depois, assumiu o Ypiranga de Erechim (1996), e posteriormente o Juventude (1997).
Primeiros sucessos
Em 2000 dirigindo o Caxias realizou uma campanha surpreendente no Campeonato Gaúcho de 2000 levando o clube a ser campeão sobre o Grêmio, que contava com Ronaldinho Gaúcho e Cláudio Pitbull. É o terceiro treinador com maior número de jogos da história do Caxias, atrás apenas de Francisco Neto e Marco Eugênio. Somando as duas passagens, e contabilizando amistosos e jogos oficiais, foram 126 jogos com 56 vitórias, 39 empates e 31 derrotas.
Em 2001 foi contratado pelo Grêmio, justamente o time que havia derrotado. No Grêmio, sagra-se campeão do Campeonato Gaúcho de 2001.
No mesmo ano, também leva o Grêmio à conquista da Copa do Brasil sobre o Corinthians nas finais. Houve empate na primeira partida no Olímpico por 2–2 e vitória no Morumbi por 3–1, sendo o primeiro nacional de Tite. Permaneceria no Grêmio até 2003.
Outras passagens
Depois do Grêmio, dirigiu o São Caetano por dois anos, e em 2004 montou o time que fora campeão Paulista com Muricy Ramalho.
Primeira passagem pelo Corinthians
2004
Mais tarde naquele ano, assumiu o Corinthians e levou o time (que beirava o rebaixamento) ao quinto lugar da tabela.
2005
No ano seguinte com a chegada do Grupo de Investimento MSI e de estrelas como o argentino Tévez, ele pediu demissão mesmo com campanha razoável no Campeonato Paulista. O motivo de seu pedido de demissão seria a oposição a Kia Joorabchian, que não acreditava que Tite fosse o técnico ideal para a atual equipe do Corinthians e que, segundo Tite, Kia havia tentado interferir na maneira de comandar e escalar a equipe. Fecha-se assim seu primeiro ciclo com o time, após 53 partidas no comando da equipe paulista e nenhum título conquistado pelo clube até então.
Atlético Mineiro
Logo depois, foi contratado pelo Atlético Mineiro para a disputa do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2005. Entretanto, a equipe acabou rebaixada após 13 vitórias, 8 empates e 21 derrotas. Tite foi substituído em agosto por Marco Aurélio e posteriormente por Lori Sandri que, apesar de melhorarem significativamente o rendimento do time mineiro, não conseguiram salvá-lo do rebaixamento.
Palmeiras
Depois, assumiu o Palmeiras. Pegando o time na zona do rebaixamento, usou o período de intervalo da Copa do Mundo de 2006 para impor a sua filosofia no time e com uma recuperação fantástica começou o período pós-copa com 7 vitórias, 5 empates e 1 derrota. Mas após desavenças com Salvador Hugo Palaia, dirigente do clube, Tite foi hostilizado pela torcida e acabou sendo demitido.
Al Ain
No fim de 2007 foi contratado pelo Al Ain dos Emirados Árabes, mas ao fim de seis meses no comando da equipe foi demitido por não concordar com o pedido dos dirigentes para relacionar um jogador da seleção do país. Tite comandou a equipe em 25 jogos, vencendo 13, empatando seis e perdendo outras seis.
Internacional
No dia 12 de junho de 2008, a direção do Internacional anunciou a contratação de Tite para o comando do clube. A contratação de Tite foi contestada por grande parte da torcida colorada, devido ao sucesso dele no Grêmio, arquirrival do Inter.
Desde então Tite levou o time ao 6º lugar no Brasileirão de 2008 e conquistou a Copa Sul-americana de 2008, sobre o Estudiantes de La Plata, com gol de Nilmar nos últimos minutos da prorrogação.
Ainda conquistou o Campeonato Gaúcho de 2009, sobre o Grêmio, além de ter feito uma boa campanha na Copa do Brasil de 2009, perdendo na final para o Corinthians. Além disso, foi vice da Recopa Sul-Americana de 2009, perdendo para a LDU de Quito. No mesmo ano, foi campeão da Copa Suruga Bank, disputada no Japão, sobre o Oita Trinita.
No Brasileirão de 2009, teve um bom início, ficando em primeiro lugar no primeiro turno. Depois, no segundo turno, colecionou uma série de maus resultados contra equipes de pequeno porte e grande oscilação. Devido ao baixo rendimento refletido em maus resultados dentro e fora do Beira-Rio, no dia 5 de outubro de 2009 o Internacional rescindiu o contrato com Tite.
Al-Wahda
Em 31 de agosto de 2010, Tite foi anunciado como novo técnico do Al-Wahda, dos Emirados Árabes. Com a demissão do técnico Adílson Batista, do Corinthians, Tite acertou o seu contrato com o clube paulista em 15 de outubro de 2010. Para assumir a equipe, precisou ser liberado pelo Sheik dono do Al-Wahda, clube que comandou por apenas cinco partidas. Três dias depois foi anunciado que Tite foi liberado, sendo o novo técnico do Corinthians.
Segunda passagem pelo Corinthians
Campeonato Brasileiro de 2010
Tite volta ao Corinthians, em 2010, faltando oito partidas para o fim do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2010, com a missão de reerguer a equipe, que lutava pelo título e passava por um momento difícil, com quase dez partidas sem vencer, o que tinha culminado com a demissão de seu antecessor Adilson Batista.
Logo em sua estreia, Tite derrota o rival Palmeiras por 1–0, com gol de Bruno César. Embora não tenha conquistado o Campeonato Brasileiro de Futebol de 2010 pelo Corinthians, teve um ótimo desempenho em suas 8 partidas ao final do torneio, com 5 vitórias, 3 empates e nenhuma derrota. Nestas partidas, a equipe marcou 13 gols e sofreu apenas 3 gols. A equipe termina na terceira colocação, conquistando vaga para a Pré-libertadores.
Desclassificação da Libertadores de 2011
Estreando no Paulistão 2011 em 16 de janeiro de 2011, o time venceu a Portuguesa por 2–0. A equipe se preparava para as decisivas partidas contra o Deportes Tolima, da Colômbia, pela Pré-libertadores. A primeira, no Pacaembu, terminou empatada por 0–0, já gerando desconfianças pela torcida. Na partida de volta, no Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, o time jogou muito mal e foi derrotado por 0–2. No dia seguinte, o então presidente do clube, Andrés Sanchez, confirmou a permanência de Tite no comando da equipe.
Dias depois, Ronaldo Fenômeno anunciava a sua aposentadoria, Roberto Carlos e Jucilei saiam para o Anzhi Makhachkala, da Rússia e Bruno César fechava com o Benfica (apesar de ir embora após o término do Paulistão). A equipe, que já estava sem Elias, negociado no final de 2010, ficava ainda mais desfigurada. Além disso, Dentinho seria negociado com o Shakhtar Donetsk. Portanto, cabia a Tite espantar o péssimo momento da equipe e promover uma renovação no elenco alvinegro. Para isso, contou com a volta de Liedson para o alvinegro.
Vice-campeonato Paulista de 2011
O time se classifica para a fase final do torneio e vai à final contra o Santos. Empata a primeira partida em casa por 0–0 e perde na Vila Belmiro por 1–2, ficando com o vice-campeonato.
Campeonato Brasileiro de 2011
Com a perda do Paulistão, inicia-se o planejamento para o Campeonato Brasileiro de 2011. Nas dez primeiras partidas da competição, a equipe conquistou nove vitórias e um empate, consolidando-se como líder isolado da competição. Após essa espetacular sequência, o time sofre duas derrotas consecutivas, para Cruzeiro, em casa, e Avaí, fora. Depois, volta a vencer, batendo o América-MG. Logo após, empata com Atlético-PR e Ceará, e vence o Atlético-MG. Depois, a equipe volta a ter uma certa instabilidade novamente com duas derrotas consecutivas, para Figueirense e Palmeiras, fechando o primeiro turno, ficando na primeira colocação.
No segundo turno, começa vencendo o Grêmio e perdendo para o Coritiba. Na vigésima segunda rodada, vence o Flamengo. Depois do Flamengo, perde para Fluminense e Santos, sendo a última de virada em pleno Pacaembu. A equipe cai na tabela e Tite se vê muito ameaçado novamente, a maior crise após o Tolima. A torcida volta a pedir a sua saída, e Andrés Sanchez novamente banca o treinador. Entretanto, vai ainda ameaçado para o clássico contra o São Paulo no Morumbi, e promove alterações na zaga, tirando o capitão Chicão. Neste clássico, o time empata por 0 a 0 e Tite se mantém na equipe. Depois, embala uma série de bons resultados, sendo um desses um importante empate contra o Vasco, em São Januário, por 2 a 2, e voltaria a perder só na vigésima nona rodada, para o Botafogo (concorrente direto) e na trigésima terceira, para o América-MG. Durante a maior parte do torneio a equipe disputou a primeira colocação com o Vasco da Gama, com ambas equipes revezando tal colocação.
Após a derrota para o América-MG, até então o último colocado do campeonato, apesar de sua equipe não perder a liderança, Tite novamente é contestado pela torcida, faltando apenas cinco partidas para o fim do torneio e a equipe líder. Entretanto, sua demissão passou longe de ocorrer. Depois, a equipe vence quatro partidas consecutivas, contra Atlético-PR, Ceará (com gol de Ramírez no final), Atlético-MG (2 a 1, de virada, com gols de Liédson e Adriano, seu primeiro com a camisa corintiana) e Figueirense (com gol de Liédson). Nesta partida, a equipe chegou a ser campeã nacional por alguns minutos, já que o Vasco apenas empatava com o Fluminense. Entretanto, aos 45', o Vasco faz o segundo gol, vencendo a partida, "tirando" o título do Corinthians.
Com isso, o Corinthians foi para a última rodada, contra o Palmeiras, com 70 pontos e o Vasco com 68. O Corinthians só não seria campeão caso fosse derrotado e o Vasco vencesse o Flamengo, no Engenhão. Nesta rodada, o Corinthians empatou por 0 a 0 e o Vasco por 1 a 1. Com isso, o Corinthians sagrava-se penta campeão brasileiro, e Tite ganhava o seu primeiro Campeonato Brasileiro, seu segundo torneio nacional.
Tite foi muito elogiado pela imprensa nacional por suas alterações decisivas nas últimas partidas, como as entradas de Ramírez e Adriano, que culminaram com os gols das vitórias contra Ceará e Atlético-MG, respectivamente. Além disso, foi muito lembrado ter Tite promovido duas grandes reformulações no elenco durante 2011: após a desclassificação para o Deportes Tolima, conseguindo ótima campanha no Paulistão, e após a perda do Campeonato Paulista para o Santos, montando um grupo competitivo para o Brasileirão. Também foi lembrada a persistência dele ao resistir durante os momentos de oscilação sofridos pela equipe ao longo do torneio.
Libertadores de 2012
O primeiro jogo da equipe pela Taça Libertadores da América, foi contra o Deportivo Táchira da Venezuela, que acabou empatado em 1 a 1, com o gol corintiano sendo marcado no último minuto por Ralf. Contra o Nacional do Paraguai, no Pacaembu, venceu por 2 a 0, conseguindo quatro pontos na classificação. No terceiro jogo, o Corinthians foi até o México onde enfrentou o Cruz Azul e empatou em 0 a 0, num jogo parelho, conseguindo cinco pontos e encerrando o primeiro turno da segunda fase do torneio.
No primeiro jogo do segundo turno, o Corinthians enfrentou o Cruz Azul em São Paulo, vencendo por 1–0 depois de uma grande apresentação e assumindo a liderança do grupo 6, com 8 pontos. No dia 11 de abril, a equipe foi ao Paraguai, onde derrotou novamente o Nacional, por 3–1, chegando a 11 pontos no Grupo 6. No dia 18 de abril o Corinthians enfrentou novamente o Deportivo Táchira da Venezuela no Pacaembu, sendo a última partida do 2° turno. O Alvinegro do Parque São Jorge venceu o jogo e aplicou uma impiedosa goleada de 6–0. os gols foram marcados por Danilo, Paulinho, Jorge Henrique, Emerson, Liédson e Douglas. Assim, o Timão encerrou o Grupo 6 como 1° colocado  atingindo 14 pontos e avançando às oitavas de final da competição.
Nas oitavas de final, o Corinthians superou o Emelec do Equador, classificando-se com um empate em 0 a 0 no Equador e uma vitória em casa por 3 a 0 indo às quartas de final da competição. Nas Quartas de Final o Corinthians jogou contra o Vasco, empatando novamente em 0 a 0 fora de casa, em São Januário e vencendo no Pacaembu por 1–0 com uma defesa milagrosa de Cássio e um gol consagrador de Paulinho, nos minutos finais e avançando as semifinais da competição.
No primeiro jogo das semifinais, derrotou o Santos por 1–0 com gol de Emerson Sheik, na Vila Belmiro. No segundo jogo o Santos saiu na frente com um gol de Neymar, mas o Corinthians empatou com gol Danilo que garantiu a classificação na final.
O clube chegou pela primeira vez a final de uma Libertadores e enfrentou como adversário o tradicional Boca Juniors da Argentina. O primeiro jogo foi dia 27 de junho no estádio La Bombonera e terminou com o placar de 1–1. O Boca Juniors saiu na frente, mas o Corinthians empatou com um gol de Romarinho. A segunda partida foi realizada no dia 4 de julho no Pacaembu. O Corinthians ganhou o jogo por 2–0, com dois gols de Emerson Sheik, garantindo o título de campeão da Copa Libertadores da América pela primeira vez na história do clube e de maneira invicta.conquista o título, Tite torna-se o único treinador brasileiro a ter conquistado os dois torneios mais importantes da América: a Copa Sul-Americana e a Libertadores. Foi eleito o melhor técnico da Copa Libertadores da América de 2012.
Campeão Mundial com o Corinthians em 2012
A 16 de dezembro de 2012, Tite consagrou-se campeão mundial com o Corinthians após vencer por 1 a 0 o Chelsea no Japão. Em um jogo muito marcado, Tite se tornou o mais vitorioso entre 2011 e 2012 e o único da história do Corinthians a ganhar o torneio e a inédita Copa Libertadores da história do clube na mesma temporada.
Depois do título, já em 2013, Tite colocou o Corinthians, à exceção do Barcelona, tido pelo próprio como "acima dos demais", no nível dos grandes clubes europeus, crendo que seus comandados podem enfrentar de igual para igual, por exemplo, Bayern de Munique e Real Madrid. Na mesma entrevista, o treinador alvinegro negou ser o melhor de sua profissão no país, afirmando apenas fazer parte de um grupo de elite de técnicos brasileiros. Para Tite: "Quem tem de ver isso são vocês. Existem duas ou três gerações agora. É a do Felipe, do Parreira, do Muricy, do Vanderlei e a outra do Dorival, que é minha, que é do Mano Menezes. É injusto comparar. Tem grandes profissionais aí e eu estou dentro deles".
Duzentos jogos pelo Corinthians
Desde o final de 2010 no Corinthians, no dia 27 de janeiro de 2013, Tite completou 200 jogos como treinador do Corinthians, sendo um dos maiores treinadores da história corinthiana, no jogo, onde o Corinthians venceu de 1 a 0 do Mirassol.
2013
Em 20 de fevereiro, estreia corintiana na Libertadores, diante do San José, da Bolívia, partida que terminaria empatada por 1–1, uma tragédia se concretizou ainda durante o empate: a morte de um garoto de 14 anos, que, atingido por fogos de artifício, ainda tentou ser salvo pelas autoridades, mas não resistiu.
Tite, após ser informado do incidente, ficou abalado e deu a seguinte declaração: “Futebol não tem preço. Nenhum silêncio... Esporte tem outro sentido. Me desculpem, sei que isso não vai tirar a dor de vocês nem da família. Estamos muito sentidos. Trocaria meu título mundial pela vida do menino. Eu trocaria”.
O Corinthians foi eliminado pelo Boca Juniors na Libertadores 2013, porém, se sagrou campeão Paulista de 2013, ao bater o Santos por 2–1 no Pacaembu, no jogo de ida, e 1–1 na Vila Belmiro, no jogo de volta. Ganhou a Recopa Sul-Americana sobre o rival São Paulo no Estádio do Morumbi por 2–1 e no Pacaembu por 2x0, nos dias 3 e 17 de julho, respectivamente. Após a goleada de 4–0 sobre o Flamengo, Tite passou por mais um momento de instabilidade: 7 partidas sem vencer no Campeonato Brasileiro, agravado com a goleada sofrida pela Portuguesa também por 4–0, amenizado com a vitória na 25º rodada em cima do Bahia.
No dia 14 de novembro de 2013, após não conseguir levar o Corinthians à Libertadores e ser eliminado da Copa do Brasil pelo Grêmio, não teve o contrato renovado pela diretoria.
2014: Um ano sabático
Em 2014 manteve-se afastado da profissão porém atento ao futebol e mais dedicado a família. Seu nome foi o preferido dos brasileiros para assumir a Seleção Brasileira após a Copa do Mundo FIFA de 2014, em pesquisa realizada entre 15 e 16 de julho pelo instituto Datafolha.[19] Ele próprio aguardava o convite - que nunca veio, e surpreendeu-se com a escolha de Dunga: "Não sei o critério que foi feito", declarou.
Terceira passagem pelo Corinthians
2015
Ainda no final de 2014, em 15 de dezembro, retornou ao comando técnico do Corinthians para 2015.
Após fazer a melhor campanha durante o Campeonato Paulista 2015, foi eliminado na semifinal para o Palmeiras nos pênaltis após empate em 2–2 no dia 19 de abril, sendo a primeira eliminação que o Corinthians sofreu no seu estádio novo. Na Libertadores 2015 foi o líder do chamado grupo da morte, que contava com São Paulo, San Lorenzo e Danubio, e 4º colocado na classificação geral. Foi eliminado pelo Guaraní-PY nas oitavas de final, após perder por 0–2 no Paraguai e 0–1 na Arena Corinthians. Com a eliminação da Libertadores, o Corinthians se classificou para a Copa do Brasil, onde novamente foi eliminado em seu estádio, dessa vez para o Santos, com derrotas por 0–2 na Vila Belmiro e 1–2 na Arena Corinthians.
Apesar dos insucessos em outras competições, levou a equipe ao título do Campeonato Brasileiro de 2015 com três rodadas de antecedência e doze pontos de vantagem para o segundo colocado, o Atlético Mineiro. O título se consagrou no jogo contra o Vasco da Gama, em São Januário que terminou em 1-1.
2016
Em 2016 levou a equipe até as semifinais do Campeonato Paulista sendo derrotado pelo Audax nas penalidades. Também foi eliminado pelo Nacional nas oitavas de final da Copa Libetadores.]
No Campeonato Brasileiro de 2016 comandou a equipe até a sétima rodada, quando esta foi derrotada pelo Palmeiras por 0–1, resultado que deixou o clube na quarta posição na tabela.
Em 15 de junho, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, divulgou em entrevista coletiva que Tite não seria mais treinador do clube a partir de então devido a convite feito pela Confederação Brasileira de Futebol para assumir o comando técnico da Seleção Brasileira, e manifestou seu inconformismo por não ter sido comunicado pela entidade deste convite.]
Seleção Brasileira
Tite como treinador da Seleção Brasileira de Futebol.
Após a eliminação da Seleção Brasileira, ainda na primeira fase, da Copa América Centenário, o treinador Dunga foi demitido em 14 de junho. No mesmo dia, à noite, Tite participou de reunião com dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol para negociar sua contratação para o cargo.
No dia 20 de junho, foi confirmado sua contratação para ser o treinador da Seleção.

O SUCESSO NA SELEÇÃO BRASILEIRA



“Em apenas seis jogos com o novo comandante, o ambiente da Seleção passou da depressão pela sequência de insucessos desde a Copa do Mundo à euforia pelo que parece ser o início da retomada dos bons tempos. Após seis jogos nas Eliminatórias com desempenho oscilante, ainda sob comando de Dunga, o Brasil arrancou rumo à liderança da competição com seis vitórias em sequência, igualando uma marca estabelecida na época de ouro de Pelé, Tostão, Rivellino e companhia, em 1969. A seguir, veja os números que mostram como Tite transformou a Seleção Brasileira.



ACERVO FOTOGRÁFICO

O menino Adenor com o irmão Miro


A mãe, sra. Ivone Bachi


Comungando como católico que é.
 De blusa vermelha, o pai Genor, já falecido


Em 1982, tentando a carreira no futebol


No time juvenil do Caxias. Tite é o 
penúltimo à direita, agachado



No Guarani FC com Neto  (Anos 80)


2004 - Técnico do São Caetano


2004/2005 - Primeira passagem pelo Corinthians


2005 - Com Carlitos Tevez no Corinthians


No C.A. Mineiro


Com Edmundo no Palmeiras


Com o goleiro Marcos no Palmeiras


2011 - Com Ronaldo Fenômeno no Corinthians


Campeão Brasileiro de 2011 c/ o Corinthians


2012 - Campeão da Copa  Libertadores da América


2012 - Campeão Mundial


Faixa - Campeão Paulista 2013


2013 - Com Muricy Ramalho no
 programa Mesa Redonda



2015 - Com Flávio Prado - TV Gazeta
Programa Mesa Redonda


2015 - Convocando a Seleção Brasileira



2015 - Com a revelação Gabriel Jesus


2016 - Na Arena Condá (velório das vítimas da
 queda do avião com a delegação da Chapecoense)



A renovada e vitoriosa Seleção Brasileira atual


Fonte: Internet (várias)



ATENÇÃO: NÃO SE ENTUSIASME DEMAIS!

Que o Tite é um grande técnico creio que ninguém duvida. Que nossa seleção voltou a jogar bem, todos nós somos testemunhas.
Que revelações como Gabriel Jesus se somaram aos talentos de Neymar, Philippe Coutinho, Douglas Costa e outras promessas que brilharam na conquista do ouro olímpico é uma realidade;.
Mas tem uma coisa: É bom ficarmos prevenidos porque  quando chegar o momento da competição lá na terra dos antigos czares as coisas poderão complicar.
 Já tivemos outras seleções maravilhosas (como a de 1982 sob a batuta do inesquecível Telê Santana), que tinha craques como Zico, Sócrates, Cerezo, Falcão e outros e fomos eliminados de forma desastrada pela Itália de Paolo Rossi.

Vamos torcer. Sejamos otimistas. Mas lembrar também que cautela e caldo de galinha não faz mal a ninguém. 

CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.



SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM



Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, pedagogo e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com