sexta-feira, 31 de março de 2017

HISTÓRIA ILUSTRADA DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE ITU

APRESENTAÇÃO

Estive pela primeira vez na cidade de Itu em 1967 para fazer exames relacionados com o curso de Madureza Ginasial (quinta a oitava série) no Colégio Estadual Regente Feijó. Eu tinha feito o curso na Associação Cristã de Moços em Sorocaba e eu morava em Alumínio.
Nessa primeira etapa eliminei as disciplinas de Português, História e Geografia. Já as disciplinas de Ciências e Matemática só consegui elimina-las no Colégio Prof. Júlio Prestes de Albuquerque (Estadão) em Sorocaba em 1968.

Depois disso estive algumas vezes na cidade por outros motivos, sendo que um deles foi uma visita à Igreja Presbiteriana local acompanhando minha esposa numa reunião da Federação do Trabalho Feminino Presbiteriano  há poucos anos atrás. Por sinal esse trabalho se repetirá dia 08-04-2017 a partir das 8 horas, quando far-se-a presente a senhora Ana Maria Prado, Presidente da Confederação Nacional do Trabalho Feminino da Igreja Presbiteriana do Brasil. Estará presente também a senhora Sudonita Taveira Alvarenga, Secretária da região sudeste.
Itu é uma cidade histórica, tendo, entre outros acontecimentos importantes, sediado a Convenção Republicana em 18-04-1873 com a presença do então deputado Prudente de Moraes e representantes republicanos das classes tanto conservadora quanto liberal de várias cidades paulistas.
Em tempos mais recentes, graças à atuação do humorista Simplício na televisão a cidade ganhou fama de ter coisas muito grandes e o turismo local se desenvolveu utilizando esse fato. Só para dar um exemplo disso, no centro da cidade existe um telefone “orelhão” gigante.
Convido-o a conhecer melhor essa importante cidade de nossa região.

 ADMINISTRAÇÃO 

- Poder Executivo:

Guilherme Gazzola
Prefeito


Caio Gaiane
Vice-Prefeito
Fonte: http://itu.sp.gov.br/site/


- Poder Legislativo:
Vereadores:


Câmara Municipal


Dito Roque

Giva

Henrique de Paula

José Galvão

Luciano do Secom

Macruz

Mané da Saúde

Maria do Carmo Piunti

Normino da Rádio

Reginaldo Carlota

Sergio Castanheira

Thiago Gonçalves

Wilson Leonardi

Fonte: http://www.camaraitu.sp.gov.br/Vereador



HISTÓRIA

O marco da fundação da cidade de Itu foi à construção, em 1610, de uma capela devotada a Nossa Senhora da Candelária, no lugar em que hoje fica a Igreja do Bom Jesus. Esta capela foi construída por Domingos Fernandes e seu genro, Cristóvão Diniz. Eles receberam por sesmaria em 1604, a posse das terras dos campos do Pirapitingui. Adotou-se o dia 02 de Fevereiro como data de aniversário de Itu, por coincidir com o dia de Nossa Senhora da Candelária.
O povoado se formou em torno desta capela. No ano de 1653 foi elevada a Freguesia de Santana do Parnaíba. Em 1.657, passou à condição de Vila com direito a possuir uma Câmara Municipal, iniciando-se assim a construção de um novo templo. Durante quase 100 anos (de 1657 a 1750) a Vila de Itu não passou de um pequeno núcleo, com menos de 100 casas, concentradas no pátio da antiga Matriz e numa única rua que ia do pátio até a capelinha do primeiro povoado. Uma boa parte das casas, as do pátio, sobretudo, pertenciam a fazendeiros. Quando aumentou a escravatura e a produção das fazendas, seus donos ajudaram a erguer dois conventos na Vila, o de São Francisco (1692) e o do Carmo (1719).
Os comerciantes ergueram, em 1726, uma capela, num lugar ainda descampado, a de Santa Rita, inaugurada em 1728. Em 1760, já existiam cerca de 105 casas e mais uma rua, chamada da Palma (atual Rua dos Andradas). Nessa época, Itu se firma como entreposto de comércio na rota entre o sul do país e as regiões mineradoras de Mato Grosso e Goiás. Na Vila, as maiorias das casas eram pequenas e habitadas por gente que pouco ou nada possuía.
Alguns anos depois, em 1776, com o crescimento das lavouras da cana de açúcar e do algodão, a Vila cresceu, contando com 180 casas, tendo ainda as mesmas ruas de antes. Quem deu vida à localidade foram os artesãos (sapateiros, ferreiros, carpinteiros, tecelões, costureiras e fiandeiras), os quais ocupavam 119 casas. Os comerciantes interessados na venda de tecido, colchas e cobertores para outras regiões, promoveram o cultivo de algodão, e a produção caseira de tecidos. A partir de 1777, a Vila de Itu cresceu em função dos negócios de exportação de açúcar para a Europa. O número de engenhos de cana e de escravos, vindos da África, se multiplicou.
De 1785 a 1792, foram abertas as ruas que descem paralelas, pelas encostas do espigão, e seus prolongamentos pelo lado da Igreja do Patrocínio inaugurada em 1819. Em 1811, foi criada a Comarca de Itu. Pela Lei Provincial de 05 de fevereiro de 1842, a Vila de Itu foi elevada à cidade. Nessa ocasião, possuía umas 800 casas. A partir de 1850 e durante anos, Itu foi considerada a cidade mais rica da Província de São Paulo, com importante participação na vida política e econômica.
Em 1860, ocorreu uma grande crise no mercado internacional do açúcar. O plantio da cana entrou em decadência, causando, com o tempo, um conflito entre os políticos e os fazendeiros ituanos e o Governo Imperial. Cresceu em Itu o Movimento Republicano que resultou, em 1873, na realização da Primeira Convenção Republicana do país. Início da propaganda republicana, com a criação do Partido Republicano Paulista. Por isso mesmo, Itu é chamada de “Berço da República”.
O açúcar foi sendo gradativamente substituído pelo café. Com o aumento da produção cafeeira, os fazendeiros buscaram, na Europa, a vinda de imigrantes para substituir a mão-de-obra escrava. O tráfico havia sido proibido em 1850 e a escravatura, abolida em 1888. Com a ajuda do governo republicano, proclamado em 1889 vieram para Itu milhares de imigrantes, a maioria italianos. A cidade possuía, nesta época, cerca de 1800 casas.
O café foi à base da economia do município até 1935, ano da maior produção, decaindo depois, pela concorrência de outras áreas de plantio e pelo esgotamento de suas terras. De 1935 a 1950, Itu quase não cresceu além da área já ocupada. A partir de 1950 novas indústrias vem se instalando na cidade, principalmente as de cerâmicas. Ocorreu grande migração rural em busca de trabalhos nas fábricas. A cidade começou novamente a crescer com a abertura de diversos loteamentos na periferia. Itu já não tinha a mesma importância de antigamente, sendo influenciada pela Capital do Estado, já então uma metrópole.
O velho centro é a maior e mais importante herança cultural dos tempos da colônia, e passou a ser transformado em centro histórico e área comercial. Após 1970, com a construção da rodovia Castelo Branco, novas indústrias instalaram-se em Itu, principalmente às margens de suas estradas de acesso.
O aniversário de ITU é comemorado no dia 02 de Fevereiro.
Fonte: http://www.juraemprosaeverso.com.br/HistoriasDasCidadesBrasileiras/HistoriaDaCidadeDeItu.htm

OUTRAS INFORMAÇÕES

Unidade Federativa: São Paulo
Messorregião: Macro Metropolitana de São Paulo
Microrregião: Sorocaba.
Região: Metropolitana de Sorocaba.
Municípios limítrofes: Salto, Elias Fausto, Indaiatuba, Itupeva, Cabreúva, Araçariguama, São Roque, Mairinque, Sorocaba e Porto Feliz.
Distância da capital: 102 km.
Características geográficas:
Área territorial: 640.719 km²
População: 168.643 habitantes.
Densidade demográfica: 263,21 hab/km²
Altitude: 583 m.
Clima: Subtropical.
Rio principal: Tietê.


Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Itu



TURISMO


"A cidade é um atraente passeio pela história política, artística e religiosa do Brasil, mas Itu ficou conhecida como a "Cidade dos Exageros", mas exagero mesmo é sua cultura e a natureza e sua gente. Venha pessoalmente conferir as maravilhas dessa cidade.

” No município de Itu está sendo montado, faz algum tempo uma ótima estrutura turística que oferece além dos já importantes acervos da história contemporânea do Brasil, muitos hotéis, vários campings, mão de obra "super especializada" e barata, turismo rural com práticas de esportes radicais, centro comercial, facilidade de acesso aos principais pontos históricos, proximidade da capital...” comenta Rafael F. de Oliveira, que trabalha no apoio a recepção num dos maiores e melhores hoteis da região.

Algumas atrações da cidade :
• São inúmeras as construções antigas nesta cidade. Vale a pena ver a igreja Bom Jesus, construída em 1765, e a capela Santa Rita, de 1728. No antigo casarão dos Almeida Prado está o Museu Republicano, que preserva as lembranças da lendária Convenção de Itu.
• O Orelhão de Itu é um dos principais pontos turísticos da Estância Turística de Itu, e um dos responsáveis pela fama da "cidade onde tudo é grande". O Orelhão foi cedido pelo ex-ministro das Comunicações, Higino Corsetti, e instalado pela Companhia Telefônica na Praça da Matriz. Homenageado com um banquete na cidade, ele encerrou seu discurso com as seguintes palavras: "O Brasil é grande, mas eu sei que Itu é maior. E a Telesp não podia deixar de instalar, na cidade um orelhão à altura da sua fama", com sete metros de altura. No começo os habitantes da cidade duvidaram que a Telesp poderia instalar um orelhão gigante na cidade, mas isso aconteceu. Feito na mesma fábrica que produzia os orelhões comuns, nasceu o "Orelhão de Itu", instalado num poste do jardim da matriz, atraindo a curiosidade de turistas e visitantes.
• Localizado à Praça Padre Miguel em Frente à Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária, foi instalado em meados da década de 1970 após a instalação do Orelhão de Itu. Sua estrutura é duas vezes maior que a do semáforo comum.
• Kartódromo Arena Schincariol - Aberto de Terça a Domingo, das 8:00h às 16:45h. Possui uma pista profissional aprovada pela Federação Mundial de Kart, estacionamento, lanchonete, arquibancada coberta para 1.200 pessoas e restaurante com cozinha própria.

• O Parque do Varvito, um verdadeiro monumento geológico inaugurado em 23 de julho de 1.995, já recebeu desde sua inauguração mais de 500 mil visitantes, entre turistas, estudantes e pesquisadores. Patrimônio tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turismo do Estado de São Paulo), o Parque do Varvito foi construído numa área de 44.346 m2 da antiga pedreira. Varvito é o nome utilizado pelos geólogos para dominar um tipo de rocha sedimentar única, formada pela sucessão repetitiva de lâminas ou camadas, cada uma delas depositada durante o intervalo de um ano."

Fonte: http://www.revistaturismo.com.br/dicasdeviagem/itu.htm


FOTOS DE PONTOS TURÍSTICOS DE ITU


Bosque Alceu Garibello (Centro Ambiental)


Cidade da Criança


Eixo Histórico


Espaço Cultural Almeida Júnior


Estrada do Parque


Fazendas - Turismo Rural


Igreja de São Benedito



Igreja de N.S. do Patrocínio


Museu Republicano


Praça dos Exageros


O quartel (famoso) de Itu

Fonte: http://www.itu.com.br/guia/lista.asp?t=pontos%20tur%EDsticos



Vídeo - Turismo em Itu



ACERVO FOTOGRÁFICO (Geral)



Casa Imperial (hospedou a família de D. Pedro I)


Casarões em frente a Praça da Matriz


Cidade da Criança


Coreto da Praça


Entrada da cidade (c/ azulejos portugueses)


Estádio Dr. Novelli Jr.


Igreja Bom Jesus


Igreja Matriz N.S. da Candelária


Museu da Energia


Orelhão gigante na Praça da Matriz


Parque Maeda


Praça Padre Miguel


Rua no centro da cidade


Rua Floriano Peixoto


Vista aérea


Vista parcial da cidade

Fonte: http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t

DEDICATÓRIA

Dedico esta postagem ao humorista Francisco Flaviano de Almeida, o Simplício, que com suas tiradas a respeito das coisas muito grandes de Itu, muito colaborou para a implementação e desenvolvimento desta atividade na cidade.
A seguir, um rápido relato a respeito do saudoso ator.
“Simplício nasceu como Francisco Flaviano de Almeida na cidade de Itu, interior paulista, no dia 5 de outubro de 1916 e passou a se interessar pela carreira artística ao assistir um espetáculo circense que passava pela cidade. Ao terminar o show seguiu junto com os artistas do circo, tornando-se um deles e com eles rodou todo o interior paulista e também outros locais.


Quando conheceu Manoel da Nóbrega, ele o convidou para trabalhar na “Praça da Alegria”, onde fez diversos personagens. O mais famoso deles é o caipira de Itu, que entrava em cena com sua mulher Ofélia e sempre exagerava ao narrar as coisas de sua cidade Itu, onde tudo tinha que ser maior do que nos outros lugares. Esse personagem conferiu a cidade de Itu a fama de ser “a cidade onde tudo é grande”.


Simplício ao lado de Manoel da Nóbrega,
criador do programa Praça 
da Alegria na TV Tupi

Fonte: (texto e foto):  http://www.tvsinopse.kinghost.net/out/praca5.htm


CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.



SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM



Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com



sexta-feira, 3 de março de 2017

CAPELA DO ALTO - HISTÓRIA ILUSTRADA DO MUNICÍPIO

APRESENTAÇÃO

Passei pela primeira vez pela cidade de Capela do Alto no início da década de 1960, viajando de Alumínio para Tatuí, mais precisamente para o bairro rural de Guarapó em companhia de um irmão e alguns amigos.
A empresa de ônibus é a mesma (Viação São Jorge) que continua fazendo o trajeto com saída de Sorocaba,  passando por Araçoiaba da Serra e Capela do Alto. Na volta, em Araçoiaba embarcou no ônibus o Padre André Pieroni, que à época construía seu castelo em Araçoiaba, o qual está lá até hoje, com suas obras inacabadas.
Voltei à cidade algumas vezes em companhia de parentes de outros lugares para conhecer a Festa do Milho Verde, acontecimento que se verifica anualmente naquela urbe.
Hoje vou fazer um  trabalho, abrangendo a história, informações geo-econômicas e políticas do município. Vamos, pois, a elas:

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Poder Executivo:



Paço Municipal



Brasão



 Péricles Gonçalves (PPS)
Prefeito


 Henrique Daniel Leme (DEM)
Vice-Prefeito


Fonte: https://www.eleicoes2016.com.br/candidatos-prefeito-capela-do-alto-sp/



Poder Legislativo:


Câmara Municipal (Plenário)

Vereadores:


Benedito Fidêncio Rosa Filho


Braz João Vieira Neto


Célio Cleto


Énio de Oliveira Campos


João Aparecido de Oliveira


José Maria da Silva


Josué Corrêa


Mauro dos Santos Silva


Nelson B. Teles de Miranda


Regina Leite Tolentino


Simone de Arruda


Fonte: http://www.camaracapeladoalto.sp.gov.br/


HISTÓRIA

Não temos dados exatos dos fundadores de Capela do Alto, sendo, portanto, lendária sua história. Segundo se sabe, Capela do Alto foi fundada pelas famílias Menck, Wincler, Plens, Popst e outros que vieram da Europa para trabalhar na exploração e fundição de ferro na fábrica do Morro do Ipanema. Portanto, há muitas controvérsias, contos e lendas sobre a verdadeira história de fundação de Capela do Alto.
Contudo, sabe-se de concreto que o início da cidade está intimamente ligada a atividade tropeira e também aos trabalhos de evangelização dos Padres Jesuítas. Oficialmente se conhece que as terras onde surgiria Capela do Alto, eram utilizadas como pouso dos tropeiros que vinham do sul do País, para comercializar seus muares, nas famosas feiras de Sorocaba.
Nesta época, conta-se ocorreu um tríplice crime, erguendo-se no local três cruzes. Posteriormente, um monge vindo das terras do Ipanema, ergueu no local mais onze cruzes, totalizando assim 14 cruzes, que, até 1.960, serviram para a realização da Via Sacra durante a Quaresma. Esse local foi denominado por Cruzeiro, situando-se defronte a antiga Igreja de Nossa Senhora das Dores.

Surgimento do Povoado
Conta-se que este monge vindo das terras do Ipanema possuía poderes extraordinários, tanto é que o local onde este morava, a pedra sob a qual dormia, foi visitado por inúmeros capelenses. Conta-se também que os alemães vieram explorar ferro, ouro e prata nas fraldas do Ipanema. Entretanto, constatada a quase inexistência destes metais, embrenharam-se pelo sertão, estabelecendo-se onde hoje é Capela do Alto, que já contava com um pouso de tropeiros.
De lenda em lenda, de história em história, aos poucos foi se formando a cidadezinha, beneficiada pela estrada São Paulo-Paraná, que ligava Sorocaba à Itapetininga, que se tornou a rua principal da cidade. No ano de 1.950, criou-se o Distrito Policial de Capela do Alto e, em 1.954, foi criado o Distrito de Paz, sendo seu primeiro titular Heleno Lopes Plens, que viria a ser mais tarde o primeiro prefeito municipal.
Data bastante significativa na história capelense é o dia 20 de junho de 1,954, quando se inaugurava, na gestão do prefeito de Araçoiaba da Serra, Francisco Pássaro, a energia elétrica no então Distrito de Capela do Alto.
Origem do Nome

Justificando o nome da cidade, sabe-se que os habitantes das margens do Rio Sarapuí, usavam da expressão "vamos à capela do alto", quando desejavam ir até a "capelinha" erguida defronte a Rua Santa Cruz (hoje Rua do Cruzeiro), parte mais alta do povoado. Esta expressão generalizou-se para finalmente de a identidade do povoado que surgia.
Segundo se sabe, houve uma eleição para a escolha desse nome, que teria também as seguintes opções: "Cruz do Monge", "Capelândia", "Guarapiranga", "Duartinópolis", "Itarassú", "Ipanemápolis", "Minerápolis", "Menklândia" e "Capanema". Após a realização desta eleição, sabe-se que o nome escolhido Capela do Alto, venceu por uma diferença de cinco votos entre os votantes, que não eram em grande quantidade.

DADOS GEOGRÁFICOS E ECONÔMICOS

As informações estão divididas em três sub-itens básicos: Agropecuária, Agricultura e Outros Dados Econômicos. Todas as informações disponíveis nesta Área Temática foram retiradas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Os dados de Pecuária, Extração Vegetal e Agricultura foram obtidos através de pesquisas: Produção Pecuária Municipal, Produção Extrativista Municipal e Produção Agrícola Municipal, todos do IBGE/SIDRA. A Pesquisa de Informações Básicas Municipais, também do IBGE, serviu como referência para a coleta das bases de dados para as áreas Comércio e Telecomunicações. Já as informações dos PIB´s municipais foram pesquisadas na Diretoria de Pesquisas (DPE), Coordenação de Contas Nacionais (SCN), nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002.
Os dados de Renda, Desigualdade e Pobreza, do sub-item Economia, foram coletados dos resultados dos cálculos apresentados pelo Atlas de Desenvolvimento Humano/PNUD. Bases de cálculos estas que também utilizaram o IBGE como referência básica.
Gráficos: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=351030#

PIB - Produto Interno Bruto

O produto interno bruto (PIB) representa a soma (em valores monetários) de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região (quer seja, países, estados, cidades), durante um período determinado (mês, trimestre, ano, etc). O PIB é um dos indicadores mais utilizados na macroeconomia com o objetivo de mensurar a atividade econômica de uma região.
Na contagem do PIB, considera-se apenas bens e serviços finais, excluindo da conta todos os bens de consumo de intermediário (insumos). Isso é feito com o intuito de evitar o problema da dupla contagem, quando valores gerados na cadeia de produção aparecem contados duas vezes na soma do PIB.”
Gráficos: http://www.cnm.org.br/pib/mu_pib_geral.asp?iIdMun=100135119

Outras Informações:
Região: Sorocaba.
Área do Município: 169.981 k².
População: 19.747 habitantes.
Distância da capital: 112 quilômetros.
Municípios limítrofes: Araçoiaba da Serra, Tatuí, Itapetininga, Iperó, Alambari e Sarapuí.
Hidrografia: Rio Sarapuí.
Rodovias: SP 141 , SP 268 e SP 270.
Gentílico: Capelense.
Fonte:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Capela_do_Alto

CALENDÁRIO 207
"Aniversário da Cidade

Relembrando a emancipação político-administrativa do município, a Prefeitura realiza anualmente, sempre no dia 26 de março, as comemorações relativas ao aniversário da cidade. Uma vasta programação cívica, cultural e religiosa é preparada, visando o envolvimento de toda comunidade capelense, esta que é a data cívica mais importante do município.
Festa do Milho Verde

Realizada há mais de vinte e cinco anos no município, a Festa do Milho Verde resgata e valoriza uma das atividades agrícolas mais importantes da economia do município. O evento acontece durante os dias de programação de aniversário da cidade - comemorado anualmente no dia 26 de março. A cada ano que passa, um público cada vez maior vem a Capela do Alto para prestigiar esta tradicional festa.
Nas semanas que antecedem a programação, ainda no mês de março, a comissão organizadora do evento promove um concurso, onde são escolhidas a Rainha, 1ª Princesa, 2ª Princesa e Garota Simpatia, que farão as honrarias durante os dias de festa. Uma noite de gala, onde a beleza e o chame da mulher capelense desfilam pelas passarelas.
Durante os dias de festa, milhares de visitantes têm a oportunidade de saborear pratos típicos, guloseimas que ajudam a fazer a fama da Capital do Milho Verde. Milhares de espigas de milho verde são transformadas por mãos capelenses em sopa, virado, bolo, sorvete, suco, pastel caipira, curau, pamonha ou apenas em espigas de milho cozida, tudo cuidadosamente preparado para nutrir os visitantes.
Além do espaço gastronômico, a Festa do Milho Verde reserva algumas atrações, tais como bailes e shows abrilhantados por bandas e grupos tradicionais da cidade e da região, além da apresentação de artistas de renome. Os recursos são revertidos em favor de entidades e projetos sociais do município. Os produtos de milho comercializados na festa são naturais e preparados na hora. Nada é congelado. Verdadeiras delícias que só quem vem a festa pode provar e comprovar.
Festa do Peão Boiadeiro

No final de março é hora do capelense lustrar a fivela, calçar as botas e vestir o chapéu e se entregar a uma das suas paixões: a festa de rodeio. Há mais de 17 anos, durantes as comemorações do aniversário da cidade, juntamente com a Festa do Milho Verde, é realizado também a Festa do Peão Boiadeiro da cidade. O Centro de Eventos e Tradições João Mori Lopes (CETCA) respira e transpira o clima de rodeio.
Trata-se de uma das festas com maior participação popular na cidade, que a cada realização vem se destacando no cenário regional, como um dos mais importantes eventos do gênero. Uma arena é montada no local no CETCA, onde um público superior a 10 mil espectadores comparecem durante todas as noites de festa, para acompanhar as montarias em touros e cavalos. Após um verdadeiro espetáculo proporcionado pelos bravos peões e ginetes, a noite se encerra com shows e apresentações artísticas.
Durante os dias a diversão fica por conta da Prova de Laço, com a participação de tropas e laçadores gabaritados e renomados da região. Uma ampla estrutura de entretenimento também é montada para a diversão do grande público, tais como, parque de diversão, hall de exposição, barracas de comes e bebes típicos. Tudo para garantir diversão e conforto para os visitantes. O rodeio em Capela do Alto é mais pura carga de adrenalina e emoção, onde você é o nosso convidado para fazer parte desta festa.
Festa da Mandioca

A comunidade do Distrito do Porto realiza anualmente - geralmente no mês de setembro - um evento que vem se consolidando no calendário cultural de Capela do Alto: a Festa da Mandioca. A cada edição uma vasta programação é preparada pelos organizadores, com eventos religiosos, apresentações artísticas regionais, concursos apresentações de viola e competições de rodeio, além das guloseimas feitas com o produto.
Através de sopas com costelinha de boi, bolos doces e salgados, bom-bocados, ou até mesmo generosas porções de mandioca, são inúmeras as variações de pratos que os visitantes podem apreciar durante os dias de festa. Mas sucesso garantido mesmo fica por conta dos concursos pitorescos, como o que escolhe a maior e mais pesada mandioca, além do disputadíssimo concurso de beleza, que escolhe a rainha e as princesas da Mandioca.
Festa de São Francisco de Assis

As quermesses promovidas pela comunidade católica são muito aguardadas e atraem muitas pessoas para o município. Uma delas é a Festa de São Francisco de Assis: o padroeiro de Capela do Alto. As comemorações transcorrem durante a primeira semana de outubro, tendo sua data máxima no dia 4 de outubro. Um programa especial é preparado pela comunidade católica, que é sempre precedida pelas novenas e missas na Igreja da Matriz. Numa das solenidades, os devotos e fiéis católicos tem a oportunidade contemplar uma relíquia, com ossos do santo padroeiro.
Os festejos reservam uma série de atrações culturais. Uma oportunidade para que todos apreciem os quitutes e guloseimas preparadas pelas voluntárias da igreja. Sopa de Milho Verde, Bolinhões de Frango, Pastéis Caipira, além de outros salgados e doces típicos, são alguns dos pratos que podem ser degustados pelos freqüentadores da festa. Diversas apresentações artísticas acontecem durante os dias de festa."





Milho: principal produto agrícola do município


Sub produtos do milho presente na tradicional 
Festa do Milho de Capela do Alto



ACERVO FOTOGRÁFICO


Oitava Festa da Mandioca


APAE


Facebook da Prefeitura


 Corrida Pedestre e Festa do Trabalhador 2014


Desfile Cívico 2015


Festa do Milho 2015



Matriz de S. Francisco de Assis



Praça ao lado da igreja



Shangri-La Ind. e Com. de Espanadores



Terminal Rodoviário



Acampamento Sítio Bom Pastor



Pousada Viajante



Praça e rua no centro da cidade



Rodovia Raposo Tavares duplicada no município


Fontes: http://www.capeladoalto.sp.gov.br/galeria-de-fotos
             http://www.cidade-brasil.com.br/foto-capela-do-alto.html









DEDICATÓRIA




Dedico esta postagem a um filho do de Capela do Alto, nosso amigo e ex companheiro de muitos anos de trabalho na Cia. Brasileira de Alumínio, o José Antonio Corrêa, que traz incorporado à sua pessoa o apelido com o nome da cidade natal: Zé Capela.
Estendemos a homenagem à sua família.



CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.



SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM



Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com