segunda-feira, 22 de maio de 2017

MAIRINQUE E A IMPRENSA

APRESENTAÇÃO

         Assim como fizemos com outros sub títulos de nossa postagem denominada Pequena História do Município de Mairinque, estamos elaborando também este trabalho, dando-lhe uma formatação própria e enriquecendo-o com fotos das pessoas citadas no texto.
         Trata-se de matéria publicada na Revista Mairinque 94 Anos – Edição Comemorativa, sendo que um exemplar da mesma está guardada em nosso arquivo pessoal.
Vamos ao texto:

Assim como Mairinque já teve seus primeiros clubes, primeiras escolas, também preencheu nossa História seus primeiros jornais. Tivemos como primeiro jornal o "25 de Julho" - fundado em 1925 - O ORGAM OFFICIAL da Sociedade Beneficente "25 de Julho" que teve como redator Admur Antunes. Os primeiros números foram rodados na "Typographia Democrata", movida à eletricidade.
Fazia parte da Biblioteca "25 de Julho", hoje situada em Sorocaba, formada por ldaco Bertolini. Atualmente na sede da biblioteca em Sorocaba, existe uma foto do fundador da biblioteca e do jornal. O local da Sociedade Beneficente "25 de Julho" aqui em Mairinque, era situado onde hoje é a Academia da Mariângela.
O segundo jornal foi o "Mayrink Jornal" tendo como primeiro número em 21 de maio de 1949.
Sua sede era na antiga rua nº 3. Tinha como equipe: Presidente - Arganauto Ortolani; Redator Chefe - José Bertolini; Diretor Comercial - Fadul Bussamara; Secretário - Salvador de Camargo; Redator esportivo - Florindo Camargo.
Em 1951 aproximadamente, a equipe do jornal montou em Mairinque uma gráfica própria que imprimia o mesmo. Tivemos também o "MK em Noticias", cujo editor era Nilson Bertolini. Mais tarde em 01 de junho de 1981 foi fundado o MK Cidade por João Roberto Pinto Figueiredo e Mário Cesár J. M. Cintra, que depois cedeu suas quotas para Nélson Bertolini. Atualmente está circulando o nº 85 do jornal. Em janeiro de 1982, Paulo Assini Jr. e Eduardo José de Oliveira, fundaram o "Jornal de Mairinque", circulando cerca de 9 números de agosto de 1982 aproximadamente.
Circulou também uma revista intitulada "O Milagroso" editada pelo supermercado O Milagroso, de Narciso Joaquim Magalhães. O seu editor era Nelson Bertolini; o Chefe de artes: Mizael Vitório Garbim. O primeiro número circulou em março de 1973 e era mensal.

FOTOS DE ALGUMAS DAS PESSOAS MENCIONADAS NO TEXTO


Arganauto Ortolani


Nelson Bertolini



Toco Dias



Reinaldo Nunes


INFORMAÇÕES SOBRE IDACO BERTOLINI

Filho de Francisco Bertolini e Olympia Luchesi Bertolini, é natural de Piére Del’Afoscana na Itália onde nasceu aos 17-09-1881, tendo vindo com a família para Mairinque quando era muito novo.
Principal atividade: Pedreiro, tendo participado da construção da estação ferroviária da cidade, a primeira a ser edificada em concreto armado no Brasil. Participou da construção das casas da EFS na cidade.
Era um benemérito, sendo sempre um amigo disposto a trabalhar por tudo que fosse de interesse para o lugar. Foi casado com Judith da Costa Neves e teve os filhos Bruno, Francisco Rodolfo, Brasilina e Orphea, aqui residentes.

Participou da construção das casas da EFS na cidade.
Era um benemérito, sendo sempre um amigo disposto a trabalhar por tudo que fosse de interesse para o lugar. Foi casado com Judith da Costa Neves e teve os filhos Bruno, Francisco Rodolfo, Brasilina e Orphea, aqui residentes.


Natural de Sorocaba veio residir em Mairinque ainda criança e aqui viveu muitos anos de sua juventude. Casado com a professora Aparecida Dias Bertolini com quem teve a filha Raquel.
Principais atividades no Município: Magistério, jornalismo e organização da Festa do Pêssego.
Fonte: Livro Caminhos Percorridos (João R. Pinto Figueiredo - Pelica)


DOIS ÓRGÃOS DA IMPRENSA EM MAIRINQUE

"Caminhos Percorridos" (março de 1984), publicação
da imprensa mairinquense que marcou época
e é com satisfação que publicamos as matérias
nela contidas com a devida autorização de seu editor
Editor: João Batista Pinto Figueiredo, Pelica.



"Mairinque 94 Anos - Edição Comemorativa"
foi uma publicação extremamente importante
na imprensa de Mairinque. Tanto que 28 anos
depois a própria revista se tornou parte da
história

Equipe da Edição Comemorativa Mairinque 94 Anos: 

Edição Comemorativa
Mairinque - ( 94 Anos)
Realização: MOMENTO

Publicidade & Promoções Rua Dr. Gaspar Ricardo Jr., 30.
Fone, 428.3149
Capa: Toco
Diagramação:
Reinaldo Nunes  e Toco
Ricky E. Takeyama
Past-up e Apoio Visual Reinaldo Nunes, Toco
Ricky E. Takeyma
Fotolito:
Graphis Programação Visual
Redação:
Regiane A. Barros


CONCLUSÃO


         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero emérito da Igreja Presbiteriana do Brasil.

E-mail: prebwilson@hotmail.com







quinta-feira, 18 de maio de 2017

O ESPORTE EM MAIRINQUE

APRESENTAÇÃO

Esta postagem, como as putras que publicamos sobre o Município de Mairinque, é um desdobramento de nosso trabalho maior denominado “Pequena  História do Município de Mairinque”, que vc. pode acessar clicando aqui: http://wilson-ribeiro.blogspot.com.br/2012/05/pequena-historia-do-municipio-de.html

O trabalho na verdade é uma transcrição do texto publicado na Revista Comemorativa – Mairinque 94 Anos abordando o Esporte em Mairinque. Vamos ao texto
  
“Os Primeiros Clubes – O Esporte em Mairinque - Em 1920 os primeiros clubes esportivos foram o S. José e o Mairink Futebol Clube. Nessa época os recursos eram precários, onde os jogadores pagavam recibos e custeavam seus uniformes. Mas a vibração da torcida compensava todos esses esforços e em quase todos os jogos os jogadores eram recebidos com uma banda de música.
Na época faziam parte do time : Leão, Hélio Natale,  Fernandes, Chirú, Sr. Zé Angelini, etc. um fato curioso é que nos dias de treinos  dos atletas (que também eram operários da Sorocabana) a oficina dava seu apito meia hora antes  do habitual para que os mesmos pudessem treinar.  

SRM -
 Em 22 de novembro de 1903, fundou-se a "Sociedade Operária Musical e Recreativa Mayrink". Dela nasceu a Corporação Musical, que animava a população todos os domingos e feriados, com sua banda realizada no coreto da praça (hoje armazém de abastecimento). Após algumas alterações no decorrer dos anos, essa sociedade proporcionava aos sócios, sessões cinematográficas diárias com tela panorâmica. E em 09 de janeiro de 1937, a "Sociedade Operária Musical e Recreativa Mayrink, foi sucedida pela "Sociedade Recreativa Mairinque", que incorporou o patrimônio da primeira, constituído de móveis e imóveis, com sede atual (sede própria) à praça D. José Gaspar D’Afonseca, em Mairinque. A finalidade deste clube é de proporcionar a seus sócios diversões familiares, bailes, espetáculos cinematográficos, atividades culturais e recreações esportivas, contando atualmente com mais de 500 sócios. Em função do trabalho de seu atual Presidente, Dr. João Ideval Cômodo, foi reaberta a Biblioteca da SRM, à qual foi recomposta de livros novos, com entrada franca para o público em geral, principalmente para a classe estudantil, não sendo necessário estar vinculado ao clube para utilizar-se da biblioteca.
A atual Diretoria da Sociedade Recreativa Mairinque, cujo mandato expira-se em 31 de dezembro do corrente ano, está assim constituída: Presidente - Dr. João Ideval Cômodo;
Vice-Presidente - Dr. Paulo Assini Júnior; Secretário Geral - Sebastião Wiezbick; 1º Secretário - Osmir da Costa Mendes; 2º Secretário - Roberto Cômodo Mercado; Tesoureiro Geral - Dr. Juracy Lopes Câmara; 1º Tesoureiro. João Pires de Almeida; 2º Tesoureiro - Gilson Simões; Diretor Patrimonial - Joaquim Maria Silveira; Diretor Social - João André Pedrassi, Joaquim Carlos Silveira, Waldemir de Camargo e João Chesini Ir.; Conselho de Sindicância - José Toscano Filho, Benedito Xavier de Moraes e Nelson Braz Negrão.

CASM

Com a paralisação das atividades do Operário F. C., em 1937, ficou então a Vila de Mayrink sem representação esportiva. No dia 12 de março de 1940 foi realizada uma comissão composta pelos seguintes cidadãos: Elias Sódré, Sílvio Pedra Ramos, José Luiz Valim, Américo Pereira, José Gonçalves Silveira, João Benedito Espírito Santo, Francisco Merguizo, Francisco Rodolfo Bertolini, Pergentino Nascimento, Christóvão Mercado, Oswaldo Ghilardi e Álvaro Chagas, que tinham a incumbência de fazer um levantamento do esporte em Mairinque. Baseado nesse levantamento cujo resultado foi positivo ficou decidido então fundar o Clube Atlético Mayrink. Até que fosse formado um quadro social, os atletas colaboravam para com a manutenção do clube, pagando os recibos. Em 20 de março de 1940 foi eleita por nomeação a 1ª diretoria do Clube Atlético Mayrink, ficando assim constituída: Presidente: Silvio Pedra Ramos; Vice-Presidente: José Gonçalves Silveira; Iº Secretário: Álvaro Chagas; 2º Secretário: Francisco Rodolpho Bertolini; Iº Tesoureiro: Oswaldo Ghilardi; 2º Tesoureiro: Christóvão Mercado; Conselho Fiscal: Américo Pereira, José Luiz Valin e João Benedito E. Santos; Conselho de Sindicância: Elias Sodré, Pergentino Nascimento, Francisco Merguizo. Nessa mesma reunião ficou deliberado que as cores representativas do clube seriam: branco, azul e vermelho; e que o treinador seria o sr. Alan Rolin Barbosa. Em 17 de março de 1957, o Conselho Deliberativo sugeriu que fosse acrescido ao nome do clube uma designação alusiva a Estrada de Ferro Sorocabana e ficando portanto o nome de "Clube Atlético Sorocabana de Mayrink", ratificado em assembléia geral dos sócios em 25 de março de 1957. Na área esportiva, o CASM foi várias vezes campeão municipal, sendo que em 1956 foi campeão da 37ª região do Interior do Estado de S. Paulo. Conseguiu na época montar um grande esquadrão e que no ano de 1959 ingressou na 3ª divisão de Profissionais da Federação Paulista de Futebol, ficando até o ano de 1969. Atualmente o CASM é Bi-campeão Municipal e Intermunicipal. Hoje, o CASM, conta Com uma área de 33.535 m , onde foram construídos piscina, sauna, lanchonete e vestuário para piscina, campo de futebol, onde serão efetuados a construção do novo estádio, dentro das próprias dependências do Clube e no lugar do atual campo, o Ginásio de Esportes.

Esta postagem, como as outras que publicamos sobre o Município de Mairinque, é um desdobramento de nosso trabalho maior denominado “Pequena  História do Município de Mairinque”, que vc. pode acessar clicando aqui: http://wilson-ribeiro.blogspot.com.br/2012/05/pequena-historia-do-municipio-de.html

O trabalho na verdade é uma transcrição do texto publicado na Revista Comemorativa – Mairinque 94 Anos abordando o Esporte em Mairinque. Vamos ao texto
  
“Os Primeiros Clubes – O Esporte em Mairinque - Em 1920 os primeiros clubes esportivos foram o S. José e o Mairink Futebol Clube. Nessa época os recursos eram precários, onde os jogadores pagavam recibos e custeavam seus uniformes. Mas a vibração da torcida compensava todos esses esforços e em quase todos os jogos os jogadores eram recebidos com uma banda de música.
Na época faziam parte do time : Leão, Hélio Natale,  Fernandes, Chirú, Sr. Zé Angelini, etc. um fato curioso é que nos dias de treinos  dos atletas (que também eram operários da Sorocabana) a oficina dava seu apito meia hora antes  do habitual para que os mesmos pudessem treinar.  

SRM -
 Em 22 de novembro de 1903, fundou-se a "Sociedade Operária Musical e Recreativa Mayrink". Dela nasceu a Corporação Musical, que animava a população todos os domingos e feriados, com sua banda realizada no coreto da praça (hoje armazém de abastecimento). Após algumas alterações no decorrer dos anos, essa sociedade proporcionava aos sócios, sessões cinematográficas diárias com tela panorâmica. E em 09 de janeiro de 1937, a "Sociedade Operária Musical e Recreativa Mayrink, foi sucedida pela "Sociedade Recreativa Mairinque", que incorporou o patrimônio da primeira, constituído de móveis e imóveis, com sede atual (sede própria) à praça D. José Gaspar D’Afonseca, em Mairinque. A finalidade deste clube é de proporcionar a seus sócios diversões familiares, bailes, espetáculos cinematográficos, atividades culturais e recreações esportivas, contando atualmente com mais de 500 sócios. Em função do trabalho de seu atual Presidente, Dr. João Ideval Cômodo, foi reaberta a Biblioteca da SRM, à qual foi recomposta de livros novos, com entrada franca para o público em geral, principalmente para a classe estudantil, não sendo necessário estar vinculado ao clube para utilizar-se da biblioteca.
A atual Diretoria da Sociedade Recreativa Mairinque, cujo mandato expira-se em 31 de dezembro do corrente ano, está assim constituída: Presidente - Dr. João Ideval Cômodo;
Vice-Presidente - Dr. Paulo Assini Júnior; Secretário Geral - Sebastião Wiezbick; 1º Secretário - Osmir da Costa Mendes; 2º Secretário - Roberto Cômodo Mercado; Tesoureiro Geral - Dr. Juracy Lopes Câmara; 1º Tesoureiro. João Pires de Almeida; 2º Tesoureiro - Gilson Simões; Diretor Patrimonial - Joaquim Maria Silveira; Diretor Social - João André Pedrassi, Joaquim Carlos Silveira, Waldemir de Camargo e João Chesini Ir.; Conselho de Sindicância - José Toscano Filho, Benedito Xavier de Moraes e Nelson Braz Negrão.

CASM


Com a paralisação das atividades do Operário F. C., em 1937, ficou então a Vila de Mayrink sem representação esportiva. No dia 12 de março de 1940 foi realizada uma comissão composta pelos seguintes cidadãos: Elias Sódré, Sílvio Pedra Ramos, José Luiz Valim, Américo Pereira, José Gonçalves Silveira, João Benedito Espírito Santo, Francisco Merguizo, Francisco Rodolfo Bertolini, Pergentino Nascimento, Christóvão Mercado, Oswaldo Ghilardi e Álvaro Chagas, que tinham a incumbência de fazer um levantamento do esporte em Mairinque. Baseado nesse levantamento cujo resultado foi positivo ficou decidido então fundar o Clube Atlético Mayrink. Até que fosse formado um quadro social, os atletas colaboravam para com a manutenção do clube, pagando os recibos. Em 20 de março de 1940 foi eleita por nomeação a 1ª diretoria do Clube Atlético Mayrink, ficando assim constituída: Presidente: Silvio Pedra Ramos; Vice-Presidente: José Gonçalves Silveira; Iº Secretário: Álvaro Chagas; 2º Secretário: Francisco Rodolpho Bertolini; Iº Tesoureiro: Oswaldo Ghilardi; 2º Tesoureiro: Christóvão Mercado; Conselho Fiscal: Américo Pereira, José Luiz Valin e João Benedito E. Santos; Conselho de Sindicância: Elias Sodré, Pergentino Nascimento, Francisco Merguizo. Nessa mesma reunião ficou deliberado que as cores representativas do clube seriam: branco, azul e vermelho; e que o treinador seria o sr. Alan Rolin Barbosa. Em 17 de março de 1957, o Conselho Deliberativo sugeriu que fosse acrescido ao nome do clube uma designação alusiva a Estrada de Ferro Sorocabana e ficando portanto o nome de "Clube Atlético Sorocabana de Mayrink", ratificado em assembléia geral dos sócios em 25 de março de 1957. Na área esportiva, o CASM foi várias vezes campeão municipal, sendo que em 1956 foi campeão da 37ª região do Interior do Estado de S. Paulo. Conseguiu na época montar um grande esquadrão e que no ano de 1959 ingressou na 3ª divisão de Profissionais da Federação Paulista de Futebol, ficando até o ano de 1969. Atualmente o CASM é Bi-campeão Municipal e Intermunicipal. Hoje, o CASM, conta Com uma área de 33.535 m , onde foram construídos piscina, sauna, lanchonete e vestuário para piscina, campo de futebol, onde serão efetuados a construção do novo estádio, dentro das próprias dependências do Clube e no lugar do atual campo, o Ginásio de Esportes.

FOTOS ILUSTRATIVAS


Clube Atletico Mairinque - 16 partidas invicta. 
C.A.M - 4 x São Bento = 0
Alvarinho , Cesario, David, Ditinho, Roque, Burrica,
 Carlito, Machado, Luiz Sodre,
Gambeta, Tide, Chico, Ze Pompiani, 
Ze Pereira, Chato, Mario Rosa.
(Foto de Du Messias)


 
CASM em 1956 - (foto dede Doroti
Laurindo Berro Antunes)
  
Regional em São Roque, julho de 2000.
 Em pé Pangué, Pavão, Jairo, Edson, 
Aguinaldo, Miguel, Vande, não sei.
 Agachados: Benatinho, Mané, não sei, Angelo e Roque.
Este time de Mairinque foi campeão dos regionais 
deste ano. (foto e descrição de Ana Jorge)
Comemoração do título de campeão dos jogos regionais de 2000 (bocha), 
no Conselheiro em Mairinque. Em pé no canto Lélis, Edson, José Tiseu, 
Merinho, Satã, Paulinho, Ângelo, Mané e Pavão. Agachados: Roque e Eli.
(foto e descrição de Ana Jorge)
  
Equipe de Basquete de Mairinque (foto de Ana Maria Merguizo)
Marcos Capato, Nei Pompiani, Uvadil, Luiz Carlos (Leitão), Beleu, Paulo Theofilo, 
Gilmar Soliani, Pica e abaixados Zé Roberto Merguizo, Jorge Germano, 
Marquinho Merguizo, e o Prof. Newton.
(Álbum Joubert Anderson Martins)



























Fotos de Claudio Ceretta























Álbum de Rita C. Merguizo



Ana Jorge e seu pai Sr. Roque levantando a taça de
campeão de Bocha nos Jogos Regionais disputados
em São Roque no ano 2000


A.A. Ferroviária de Mairinque: Em pé: Oscar Angelini, 
Zé Merguizo, Archimedes, Nardo Bordoada, Monteiro, Ribota,
Agachados: Percio, Vardinho, ..., Jurinha,, Pani e Bonino.
(Foto publicada por Rubia Panin Ruiz e descrição
de Francisco Angelini Neto) 


Antonio Carlos Pecorari, o Tatu, jogador de futebol nascido em 
Mairinquee m 1962 atuou pelo SPFC nos anos de 1979 a 1981. Foi para
O Estados Unidos, jogando Futsal pelo Tampa Bay de 1982 
a 1984 e pelo Dallas Sidevicks de 1985 a 1992


Expressinho do SPFC que venceu na decisão
do título da Copa Conmebol em 1994. 
O zagueiro central era o mairinquense Nelson, 
atualmente trabalhando no Centro de Formação 
de Jogadores do tricolor em Cotia 
(foto - site do SPFC)



O TIME DO BIÉ


Benedito Roque Rodrigues, o Bié



 
"No meu time todo mundo joga" (Bié)

"Bié sempre se dedicou às crianças e vem trabalhando com elas desde 1/3/62 quando começou a montar seu primeiro time e deu a um grupo de garotos de sua rua uma bola de futebol, e a partir daí passou a se interessar pelo grupo, onde participavam: Airton Pompiani, Plínio, Faraó, Ilson, Bid, Bima, Gerson, Joninhas, Jair, Garcia, Kim, Caristia, Nido, Pangué e outros. Esse time passou a se denominar "Águias Negras FC", onde realizavam as competições em campinhos; seu time pertenceu também a Ferroviária, Estrela do Marmeleiro, CASM onde é vinculado até hoje, e utiliza também o campo da Takara. Na maioria das vezes, as despesas eram por sua conta: uniformes, medalhas, troféus, viagens, etc. O "Águias Negras" não era registrado, e esse fato, serviu de argumentação para que os poderes públicos não contribuíssem através de recursos, para o time. Apesar de tudo, Bié sempre levou sua equipe em frente, sendo bi-campeão em 1962 e 1963.
Seu time já enfrentou quatro grandes cubes: o São Paulo F. C. no Morumbi, ganhando de 3x 2 - o Santos F. C. ganhando de 11 x O e Corinthians Paulista também ganhando de 10 x O.
Mais tarde jogou com o Palmeiras, em dois jogos - O Mirim empatando por 2 x 2 e dente-leite perdendo por 9 x 2. Certa ocasião, Bié resolveu realizar um jogo noturno, o primeiro aqui em Mairinque, (num campinho ao lado da Fepasa) contra a equipe do Sr. Claro (massagista já falecido).
Improvisaram a iluminação com fogueiras e aproveitaram a luz que vinha do Depósito (Fepasa).
O jogo começou às vinte horas e o resultado foi empate: 2 x 2, onde um dos gols foi marcado por Davi, num gol olímpico.
A maioria das competições, não eram oficializadas e esse ano aconteceu o 1º campeonato oficializado, organizado pela Liga de São Roque e Rádio Universal em março e junho deste ano, realizado em Mairinque e São Roque. Jogaram contra: Ferroviária de Mairinque, Colorado, Paulistano e outros. Foram vice-campeões. Uma das passagens importantes em sua vida, foi na época (68/69) em que levava o "Águias Negras" para jogar em São Paulo, indo de subúrbio e responsabilizando-se por 40 garotos, mas sempre muito cuidadoso, dando-lhes carinho especial. Hoje, Bié pensa em parar com os campeonatos e pretende realizar times não competitivos, e sim por lazer, com a participação de todos os atletas, unindo-os sem rivalidade. Já passaram por Bié um média de 2.000 atletas, e nesses 2 últimos jogos, ofereceu 70 medalhas e 10 troféus gravados. Uma maneira de premiar os esforços desses jogadores."

Fonte:(Revista Comemorativa 94 Anos de Mairinque)



CONCLUSÃO


         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero emérito da Igreja Presbiteriana do Brasil.

E-mail: prebwilson@hotmail.com