sábado, 10 de junho de 2017

IBITINGA A CAPITAL NACIONAL DO BORDADO

APRESENTAÇÃO


Conheci a cidade de Ibitinga em novembro de 1992 quando estive na cidade acompanhando minha esposa dona Claudineide e minha tia Marcolina Dutra Rosa, residente em Bauru. Elas foram até lá para fazer compras.
Desnecessário falar sobre a qualidade e a beleza dos produtos adquiridos pois a cidade é conhecida como a Capital Nacional do Bordado.
No retorno passamos muito próximo da cidade de Itápolis, terra natal de meu falecido sogro Sr. Claudino Batista Marra.
Dia destes vi matéria vinculada na televisão sobre a cidade de Ibitinga e impressionou-me a parte que mostra o “Pantaninho”, tão rico e lindo como o Pantanal Matogrossense, guardadas as devidas proporções.

Resolvi então pesquisar e fazer uma postagem sobre o Município de Ibitinga. Aí está ela:


ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL

Poder Executivo:



Prefeitura Municipal


Dra. Cristina Arantes
Prefeita


Frauzo Ruiz Sanches
Vice-Prefeito

Poder Legislativo


Câmara Municipal

VEREADORES




Fonte: http://www.camaraibitinga.sp.gov.br/


HISTÓRIA DO MUNICÍPIO

Em 1842, aconteceu em Minas Gerais a Revolução Liberal, rebelião que foi controlada pelas forças Imperiais, mas os fatos forçaram muitas famílias a procurarem novas terras. Esta é uma das teorias para explicar a migração para o interior paulista; outros historiadores acreditam que a decadência da mineração do ouro seja o motivo.

Foi no final deste ano que as famílias mineiras, Landim e de Pedro Alves de Oliveira (Velho Amaro), chegaram à região de “Campos de Araraquara”, de onde “os Amaro” partiram para o norte e fundaram a cidade de Boa Vista das Pedras, mais tarde conhecida como Itápolis.

“Os Landim” rumaram para o sul e se estabeleceram na cachoeira de Wamicanga, povoado que foi quase dizimado pela febre palustre e por ataques indígenas. Partiram então, em direção ao nordeste até chegarem na confluência dos córregos Saltinho e São Joaquim, terra que foi dividida entre o clã, para que fosse mais bem cultivada.

A Miguel Landim coube a região entre o Córrego São Joaquim e o Córrego Água Quente, onde foi formado o povoado da "Capela da Água Quente", sendo que, o ano provável da fundação é 1860.

No dia 03 de outubro de 1870, Miguel Landim e sua esposa Ana Custódio de Jesus, doaram à Mitra Diocesana o patrimônio onde se formou a Vila de Ibitinga.

Em 1885, por Lei provincial de número 105, Ibitinga foi elevada à categoria de “Distrito de Paz” e em 04 de julho de 1890, por força da Lei de número 66, assinada pelo então governador, Prudente de Moraes Barros, teve a sua emancipação político-administrativa.

Em 1987, o município tornou-se Área de Proteção Ambiental.

Em 1992, de acordo com a Lei nº 8.199, o município foi elevado a “Estância Turística”.

OUTRAS INFORMAÇÕES


Rio Tietê
Ibitinga é um dos paraísos verdes do Estado de São Paulo. Não são só os bordados que atraem os turistas. A beleza dos rios Tietê, Jacaré-Pepira, Jacaré-Guaçu.
Rio Tietê
O rio Tietê conserva suas águas despoluídas. Abriga a Usina Hidrelétrica de Ibitinga, que pelo canal da eclusa, integra a importante hidrovia Tietê-Paraná.
O rio Tietê (caudal, volumoso em Tupi) é um rio brasileiro do estado de São Paulo. É famoso nacionalmente por atravessar o estado e a cidade de São Paulo.
Nasce em Salesópolis na serra do Mar, a 1.120 metros de altitude. Apesar de estar a apenas 22 quilômetros do litoral, as escarpas da Serra do Mar obrigam-no a caminhar sentido inverso, rumo ao interior, atravessando o estado de São Paulo de sudeste a noroeste até desaguar no lago formado pela barragem de Jupiá no ri Paraná, no município de Três Lagoas, cerca de 50 quilômetros a jusante da cidade de Pereira Barreto.
O nome Tietê foi registrado pela primeira vez em um mapa no ano de 1748 no Mapa D'Anvile e, em tupi, significa "rio verdadeiro", ou "águas verdadeiras".


Rio Jacaré Pepira
Afluente do rio Tietê faz divisa com o município de Itaju, onde está localizado o Pantaninho.
Única reserva pantanosa com similaridade ímpar, tanto na fauna quanto na flora, ao Pantanal Mato-grossense.
Dista 15 km da sede. As vias de acesso são as estradas municipais e a SP 304. Detém o título de o rio mais limpo e preservado do Estado.
A recuperação e preservação das matas ciliares faz com que seja uma reserva da biodiversidade. É propício a esportes náuticos como botes, lanchas e esqui. Possibilidades de pesca peixes pequenos, localizado em área pública arborizada.
Pertencente à bacia do rio Tietê, o rio Jacaré Pepira nasce na divisa dos municípios de Brotas e São Pedro na Serra de Itaqueri a uma altitude de 960 metros sobre o nível do mar. Desemboca no rio Tietê no município de Ibitinga. Tem aproximadamente 174 quilômetros de extensão.
É muito utilizado para a prática de esportes náuticos e de aventura, sendo fator de desenvolvimento regional por seu enorme potencial turístico

.
Rio Jacaré Guaçu

Afluente norte do rio Tietê, nasce na confluência do Ribeirão Feijão com o rio do Lobo logo abaixo da barragem da represa do Broa no município de Itirapina, atravessa os municípios de Itirapina, São Carlos, Ribeirão Bonito, Araraquara, Gavião Peixoto, Nova Europa e deságua no rio Tietê dentro do município de Ibitinga.

Atravessa o município, dista da sede 6km. Regular os meios de acesso, pela SP 304 estradas municipais. Propício a esportes náuticos, lanchas, botes e esquis. Possibilita a pesca de peixes pequenos. Localizado em área pública arborizada com acesso ao público. Não é explorado turisticamente.

Economia da cidade

Ibitinga é considerada a Capital Nacional do Bordado, produto base de toda a economia do município. Sua indústria é quase que totalmente voltada a essa área da indústria têxtil. O turismo comercial é uma das principais fontes de renda de Ibitinga, juntamente com as exportações do seu principal produto e a agropecuária, onde se destacam as culturas de laranja e cana-de-açúcar.
Ibitinga conta hoje com diversas indústrias, concentrado suas atividades na área do bordado onde existem aproximadamente 800 indústrias.
Na atividade de indústria e comércio, de modo geral, somam-se aproximadamente 1910 empresas, sendo que 95% classificam-se com micro e pequenas empresas.

Igreja Católica
O município pertence à Diocese de São Carlos.

Fontes: http://www.segundocartorio.com.br/sobre-ibitinga/dados-tecnicos
              http://www.segundocartorio.com.br/sobre-ibitinga/hidrografia




PONTOS TURÍSTICOS

Usina hidrelétrica



Faz divisa com os municípios de Itaju e Iacanga, dista da sede 07 a 20 km. Vias de acesso: diversas estradas municipais, SP 304 e SP 321. Propício a banhos, natação; esportes náuticos: lanchas e votes. Possibilidade de pesca: peixes pequenos, corimbatá e corvina. Localizada em área pública arborizada, com acesso ao público.

VIA SACRA- (março/abril)




A encenação ao vivo da Via Sacra, começou em 1981, com o objetivo de incrementar o turismo na cidade de Ibitinga, aliado às comemorações tradicionais religiosas.
A representação é encenado pelo Grupo de Teatro "Bom Jesus" e envolve direta e indiretamente cerca de 200 pessoas, entre artistas e organizadores.
Durante a encenação são representadas as 15 Estações da Via Sacra, com coreografia e cenários próprios da época, seguindo fielmente o texto bíblico.
A apresentação oficial, na semana da Páscoa em Ibitinga, consta no Calendário Turístico do Estado de São Paulo, no Calendário de Eventos Culturais do Ministério da Cultura e no Mapa do Folclore Paulista, da Secretaria de Estado da Cultura do Estado de São Paulo, figurando como um dos principais espetáculos do gênero.
Tradicional Feirinha do Bordado
A encenação ao vivo da Via Sacra, começou em 1981, com o objetivo de incrementar o turismo na cidade de Ibitinga, aliado às comemorações tradicionais religiosas.
A representação é encenado pelo Grupo de Teatro "Bom Jesus" e envolve direta e indiretamente cerca de 200 pessoas, entre artistas e organizadores.
Durante a encenação são representadas as 15 Estações da Via Sacra, com coreografia e cenários próprios da época, seguindo fielmente o texto bíblico.
A apresentação oficial, na semana da Páscoa em Ibitinga, consta no Calendário Turístico do Estado de São Paulo, no Calendário de Eventos Culturais do Ministério da Cultura e no Mapa do Folclore Paulista, da Secretaria de Estado da Cultura do Estado de São Paulo, figurando como um dos principais espetáculos do gênero.

Feira do Bordado



Considerada o maior evento da cidade, faz parte do Calendário Turístico do Ministério do Turismo. É a oportunidade para os atacadistas e revendedores do setor realizar bons negócios.
Além das pequenas, médias e grandes empresas do Bordado, um mini-shopping com artigos artesanais (o bordado tradicional) também tem seu espaço, abrangendo desta forma, não somente o turismo de negócios, mas também o consumidor final do Bordado de Ibitinga.
A Feira possui uma estrutura compatível com os maiores eventos do país. São 12.300 m² de área coberta divididos em quatro pavilhões.
Pavilhão A: com venda de Bordados: 3.000 m².
Pavilhão B: com o maior Showrom do tipo:1.720 m².
Pavilhão C: Mini-Shopping e Praça de Alimentação: 5.500 m²
Pavilhão D: Shows: 5.400 m².
Fora da área da Feira há Parque de Diversões montado em uma área de 10.000 m².

Compra de Bordados


Conhecida como a Capital Nacional do Bordado, Ibitinga atrai milhares de visitantes em suas diversas lojas como opção de compra para artigos de cama, mesa e banho. A industria e o comércio de bordados são os grandes responsáveis pelo desenvolvimento econômico de Ibitinga nos últimos anos. A maior concentração de lojas de bordados encontra-se no centro da cidade (Rua José Custódio) e ruas paralelas, sendo as fábricas/lojas distribuídas por toda Ibitinga



COMPLEMENTO DE INFORMAÇÕES

Ibitinga pertence à Masorregião e à Microrregião de Araraquara. Limita-se com os municípios: Itápolis, Tabatinga, Nova Europa, Boa Esperança do Sul, Bariri, Itaju, Iacanga e Borborema.
Dista da capital 360 quilômetros.
A área do município é de 689.391 k², a popiulação é de 58.188 habitantes (Censo IBGE de 2016), a altitude é de 491 metros e o clima é tropícal Aw.


FOTOS DO MUNICÍPIO



Vista aérea



Igreja Matriz - Padroeiro Senhor Bom Jesus Ibitinga SP



Bordados - fazem a fama da cidade


Enxovais


Feira do bordado


Loja de Artesanato


Monumento aos artesãos


Rotatória


Pantanal Paulista - "Pataninho"




CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero emérito da Igreja Presbiteriana do Brasil.

E-mail: prebwilson@hotmail.com



















































































ACERVO ILUSTRATIVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário